segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

BORRAZÓPOLIS – Dois jovens detidos em meio a confusão e agressões

Houve ameaça, resistência a prisão e outros supostos delitos em Borrazópolis
A polícia militar de Borrazópolis registrou no domingo, dia 12 de fevereiro, uma ocorrência, na Avenida Paraná, às 3 horas da madrugada. O fato foi registrado como tentativa de furto, ameaça, lesão corporal, resistência a prisão e desacato. Policiais disseram que faziam patrulhamento pela área central da cidade quando avistaram dois jovens em atitude suspeita saindo de um local escuro e entrando em um veículo Gol. Neste mesmo momento, surgiu a primeira vítima, de nome João Vitor Machado Pereira, 19 anos, a qual relatou que os indivíduos o agrediram com socos e chutes causando lesões pelo corpo e face. Com base nestas informações, a equipe abordou o veículo suspeito, e nele estavam Cleiton dos Santos Silva, o (Zóio) de 24 anos, e Guilherme da Silva Ferreira, 18 anos, que foram reconhecidos como os agressores de João Victor. Consta no Boletim, que os rapazes reagiram a prisão, sendo necessário o uso de força moderada. “Após deter os dois jovens fomos informados que na Rua Pernambuco, havia uma solicitação de uma pessoa de nome Fabiano Nunes da Silva, 27 anos, dizendo que suspeitos com as mesmas características, tentaram arrombar sua residência, mas foram surpreendidos por ele, momento que evadiram-se, fazendo menção de estarem armados e ameaçando atirar. Que após este fato, se evadiram do local tomando rumo ignorado”, informou o Boletim Divulgado pela PM. Ainda segundo os Policiais que efetuaram a prisão, ao ser apresentados a vítima do arrombamento, ela reconheceu, sem sombra de dúvidas, os detidos como os autores. Afirmou ainda que havia um terceiro envolvido, que fugiu. “A pessoa que estava tendo a casa violada, ainda disse que os rapazes, após a tentativa de furto, ficavam passando na frente de sua residência dentro de um veículo e o ameaçando dizendo que iriam atirar contra ela”, finalizou o Boletim da PM.  FURTO NÃO RECONHECIDO - Nossa reportagem falou com a Delegacia de Faxinal, na manhã de segunda-feira, dia 13 de fevereiro, e segundo a Polícia Civil, não foi reconhecida a prática de furto, apenas: ameaça e lesão corporal

Um comentário:

  1. Caramba a policia está sem poder de ação, tinha que usar taser para os bonitos que resistirem, e caso preciso bala, ou é só contra os professores que estão autorizados a utilizarem força bruta.

    ResponderExcluir