terça-feira, 21 de março de 2017

INVESTIGAÇÃO - Menor diz porque matou colega de sala em Cambira

      FALA EXCLUSIVA COM O DELEGADO     
Menor que matou o colega de sala diz que a vítima oferecia droga a ele, mas delegado acredita que o autor sofreu transtornos de ordem psicológicas ao  idolatrar personagens de filmes de terror
VÍDEO - No link de vídeo, ouça entrevistas com o delegado Dr. Jacovós  
    O Delegado Dr. José Aparecido Jacovós, que comanda da 17ª SDP de Apucarana, falou com o repórter Ronaldo Alves Senes, o "Berimbau", sobre as primeiras investigações do homicídio covarde e cruel praticado em Cambira, vitimando o aluno Rafael Sanches Cogo, de 17 anos, morto com três golpes de faca no pátio da colégio Rosa de Lúcia Calsavara, na noite de 20 de março, de 2017 (- clique aqui para rever matéria do crime). Ao ser indagado sobre o motivo de ter assassinado o amigo de sala, o autor, que também tem 17 anos, usou como álibi a informação que a vítima estava oferecendo droga para o mesmo. "Essa afirmação é descabida, porque oferecer droga, se realmente fosse o motivo real, não era razão para um assassinato brutal. O que verificamos foi que o menor idolatrava personagens de séries de televisão que são assassinos, como Déxter Mórgan, de um seriado americano, inclusive, usava fotos dele em seu perfil no Facebook. O menor também tinha na capa do seu caderno, o Jason Voorhees, que é um personagem fictício da série "Sexta-Feira 13", inclusive a própria mãe disse que alguns vezes orientou o filho a apagar postagens que fazia sobre estes temas", disse o Delegado. Ele também afirmou que o menor ficaram recolhido e que a ideia é o manter recolhido por três anos como medida socioeducativa.  (Mais imagens no link abaixo)








Nenhum comentário:

Postar um comentário