terça-feira, 28 de março de 2017

RECUO - REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Governo recua de deixar fora da Reforma da Previdência os servidores estaduais e diz que quer dar 6 meses para que estados e municípios a façam 
O presidente Michel Temer pretende dar prazo de seis meses para que os governos estaduais e municipais aprovem uma reforma previdenciária para seus servidores. O governo federal fará uma emenda ao texto que tramita no Congresso Nacional,adicionando essa sugestão. De acordo com a nova proposta, estados e municípios se submeterão à regra federal, conforme proposta que atualmente tramita na Câmara dos Deputados, caso não façam a própria reforma no tempo determinado. Na semana passada,Temer anunciou que estados e municípios seriam retirados do projeto de reforma que tramita na Câmara, por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016. A avaliação do Planalto e dos deputados federais é que os governadores estavam “muito à vontade”, sem precisar passar pelo desgaste de rever seus próprios sistemas de Previdência. Na avaliação do governo, a saída dos servidores municipais e estaduais poderá acelerar os debates e a tramitação do projeto. A ideia de definir um prazo para que os entes federados organizem suas propostas surgiu de uma reunião ocorrida neste fim de semana entre o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano. O objetivo é fazer com que as mudanças ocorram mais rápido em todo o país. Na prática, a emenda ao texto, se aprovada, vai pressionar governadores e prefeitos, uma vez que os servidores estaduais e municipais vão lutar pela aprovação de uma reforma mais benéfica para a categoria do que a oferecida pelo texto federal. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, apresentou a proposta em reunião com os deputados da base na comissão da reforma da Previdência, no final da tarde de hoje (27).

Um comentário:

  1. Manobrinha safada destes marginais que nos governam, reduzindo o numero de reclamante s no momento para facilitar e ter menos oposição na questão. NAO SE ILUDAM, POIS A TENDENCIA E DO ESTADO ACABAR DE AFUNDAR A MOLEIRA DOS TRABALHADORES DE SEUS REGIMES. FICA A RESPONSABILIDADE DE TODOS OS TRABALHADORES IREM PARA RUA DEFENDER O QUE ESTÃO NOS TIRANDO. NAO PODEMOS NOS CALAR, SAO AUMENTOS DE IMPOSTOS E A PREVIDENCIA, E O POVO PAGANDO A CONTA DE ALGO QUE NAO SE JUSTIFICA.
    Tirar das despesas reais e incontroladas, que são o que se gastam nos gabinetes, cartões corporativos, despesas adicionais de gabinetes, salários de mais de 130mil reais no judiciário, estão sangrando o povo quem realmente leva o país para frente. ACORDA BRASIL.

    ResponderExcluir