segunda-feira, 6 de março de 2017

SAÚDE - Júlio Dutra de Faxinal foi o entrevistado da Folha de Londrina

O médico foi ouvido pelo jornal na matéria publicada com o seguinte título: "Brasil é o país mais depressivo da América Latina, revela OMS"
(FOLHA DE LONDRINA) O Brasil tem a maior taxa de pessoas com depressão na América Latina e uma média que supera os índices mundiais. Dados publicados nesta quinta-feira (23) pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que 322 milhões de pessoas pelo mundo sofrem de depressão, 18% a mais do que há dez anos. O número representa 4,4% da população do planeta. No caso do Brasil, a OMS estima que 5,8% da população nacional sejam afetados pela depressão. A taxa média supera a de Cuba, com 5,5%, a do Paraguai, com 5,2%, além das de Chile e Uruguai, com 5%. Para o psiquiatra e vice-presidente da Associação Paranaense de Psiquiatria (APPSIQ) na Região Norte do Estado, Júlio César Nogueira Dutra, os dados são alarmantes e consolidam a realidade vivida pelos especialistas nos consultórios. "Os números chamam a atenção para este grave problema. A depressão não é tristeza nem frescura, mas sim uma doença séria", alertou. Dutra observa que a imagem de que o brasileiro é um povo alegre precisa ser vista com ressalvas. "O brasileiro é, sim, um povo alegre, mas extremamente sentimental. Ele se apega muito e, quando ocorre uma frustração, tem dificuldades de lidar com isso", argumentou. Segundo ele, o clima predominante quente do País é uma vantagem em relação a países mais frios, onde as taxas de pessoas com depressão são ainda maiores. "O sol e o clima quente são fatores que ajudam as pessoas na recuperação da doença", disse. O psiquiatra lembra que questões como crise financeira, desemprego e cenário político conturbado também influenciam no aumento dos casos de depressão. "Quando discutimos esses dados, todo o cenário social deve ser observado", avaliou. Dutra aponta ainda questões de comportamento ligadas à tecnologia que contribuem para agravar o quadro. "Hoje vivemos a era das redes sociais. Todos conectados, mas ninguém próximo. Muitas vezes um familiar está precisando de atenção e a pessoa está fechada em si, buscando ganhar mais curtidas, ou mais dinheiro", criticou.  Segundo Dutra, os transtornos mentais são responsáveis por 20% de todas as doenças que acometem a população mundial.  Clique aqui para ler a matéria completa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário