sábado, 6 de maio de 2017

LAVA JATO - O DEPOIMENTO DE LULA

Movimentação na Capital e as expectativas para o depoimento do ex-presidente Lula em Curitiba é o principal destaque da imprensa nacional  
      Portais como o Gazeta do Povo e G1 Paraná, divulgaram fotos da movimentação em Curitiba, de apoio ao ex-presidente Lula, neste 10 de maio, dia que ficará frente a frente com o Juiz Sérgio Mouro, para depor na Lava Jato, marcado para às 14 horas. Do Vale do Ivaí, alguns ônibus levando acampados do Movimento Sem Terra, também foram para a Capital. Segundo o Gazeta do Povo, apoiadores do ex-presidente falam em atrair a Curitiba milhares de manifestantes para o interrogatório do petista. Organizadores dos atos pró-Lula dizem que as 68 entidades da Frente Brasil Popular, além de outros movimentos sociais, artistas, intelectuais e representantes de partidos de esquerda, estarão na cidade. Os números são superlativos e, se confirmados, serão usados para mostrar que Lula conta com apoio popular em sua luta contra a Lava Jato. Apesar disso, a “invasão vermelha” à capital paranaense tem como base o tripé que tradicionalmente sustentou Lula politicamente e que sempre esteve com ele: Partidos dos Trabalhadores, CUT e MST. Em palestra, na véspera do depoimento, o Juiz reafirmou que não quer que os apoiadores da Lava Jato façam manifesto porque não será julgador de um dos dos lados, mas sim da verdade e do que for apurado. SOBRE DEPOIMENTO - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreu ao Superior Tribunal de Justiça para adiar o depoimento marcado para esta quarta-feira. A defesa de Lula pede a suspensão do processo por noventa dias para poder analisar documentos. O recurso também pede para que o STJ considere o juiz Sérgio Moro suspeito para julgar a ação penal. Os advogados de Lula já haviam recorrido ao Tribunal Regional Federal da Quarta Região que negou. O depoimento do ex-presidente com o juiz Sérgio moro está marcado para o início da tarde desta quarta-feira em Curitiba. O G1 informou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será interrogado na primeira instância da Justiça, nesta quarta-feira. A audiência deve começar às 14h na sede da Justiça Federal em Curitiba. É o primeiro depoimento de Lula na presença de Moro e na condição de réu. Neste processo, Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina, de forma dissimulada, da empreiteira OAS. Em troca, ela seria beneficiada em contratos com a Petrobras. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a OAS destinou ao ex-presidente um apartamento triplex, em Guarujá (SP), fez reformas neste mesmo imóvel e também pagou a guarda de bens de Lula em um depósito da transportadora Granero. O MPF denunciou o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 14 de setembro 2016. Seis dias depois, a Justiça aceitou a denúncia, e Lula e outras sete pessoas viraram réus (veja a lista completa). Entre eles, estava a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro deste ano. Desde que foi denunciado, Lula tem negado o recebimento de propinas e o favorecimento da OAS na Petrobras. A defesa diz que o MPF não tem provas que sustentem a denúncia. Segundo advogados, a mulher de Lula tinha uma cota no condomínio do triplex, mas a vendeu quando a OAS assumiu a obra. Eles alegam que Lula e Marisa chegaram a visitar o apartamento citado na denúncia porque planejavam comprá-lo – o que acabou não ocorrendo. A defesa também nega irregularidades no apoio oferecido pela empreiteira para guardar os bens do ex-presidente. Em novembro do ano passado, Lula prestou depoimento a Moro por videoconferência como testemunha de defesa do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Um comentário: