quinta-feira, 3 de agosto de 2017

BORRAZÓPOLIS - Depois de aterrorizar a cidade, menor é internado

O adolescente que vinha aterrorizando a comunidade com crimes, foi internado, graças a uma ação do Conselho Tutelar e demais órgãos de segurança
  Na quinta-feira, dia 03 de agosto, de 2017, nossa equipe de reportagem recebeu informações que o adolescente, de 17 anos, que vinha aterrorizando a cidade de Borrazópolis com crimes de furto, roubos e ameaças, todos registrados pela Polícia Militar, foi internado em um Centro de Socioeducação (Cense) de Maringá. A conquista da vaga, só foi possível graças ao trabalho do Delegado Dr. Antônio Silvio Cardoso, de Faxinal, que o manteve apreendido por cinco dias; a PM que efetuou as apreensões, após alguns crimes praticados; ao Conselho Tutelar de Borrazópolis, que juntamente com a Secretaria de Assistência Social do município, travou uma batalha incansável para que o menor fosse encaminhado para um centro especializado, já que ele não tem 18 anos e não pode ficar recolhido na cadeia pública de Faxinal. Um detalhe interessante, é que há uma expectativa que o menor permaneça por pelo menos seis meses no Cense,  quando passará por uma nova avaliação, podendo ser, o prazo, estendido para mais algum meses, o que seria suficiente para que o mesmo complete seus 18 anos, ou seja, em abril de 2018. Caso isso ocorra, quando o menor voltar para Borrazópolis, se ainda cometer algum crime, poderá ser punido com prisão, assegurando a punição tão almejada pela sociedade. CONSELHO TUTELAR - Pela Rádio Nova Era, o repórter "Berimbau", explicou que muitas as pessoas tem uma visão destorcida do que é o Conselho Tutelar, imaginando que o órgão é um protetor de menores criminosos, quando na verdade, os Conselheiros são guardiões do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, que prevê proteção para aqueles que estão em situação de risco, mas também prevê internamento e medidas socioeducativas para os que cometem delitos. Quem peca, é o poder público que não disponibiliza vagas e nem condições para que estes menores cumpram suas "penas" longe da sociedade. Lembamos também que o Conselho é um braço do Ministério Público, portanto, tem um papel fundamental. VIDA PREGRESSA - Como já noticiamos, o menor ficou conhecido após participar do Latrocínio do Agente de Saúde Nelson de Freitas. Ele chegou a ficar um ano internado, mas assim que voltou para a cidade, começou a cometer crimes como: roubos, furtos e outros delitos. Quando era apreendido, sempre após um ato infracional, zombava das autoridades dizendo que era menor e que iria continuar furtando porque ninguém poderia agir contra o mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário