quarta-feira, 2 de agosto de 2017

BRASÍLIA - Deputados arquivam denúncia contra Michel Temer

                DENÚNCIA REJEITADA             
Em uma sessão polêmica  e demorada, deputados arquivaram a denúncia de corrupção contra o Presidente da República 
VÍDEO - Veja no vídeo, como votaram os deputados do Estado do Paraná 

RESULTADO - A sessão começou pouco depois das 9h de quarta-feira (02 de agosto, de 2017) e terminou às 21h51. Ao final, 492 dos 513 deputados da Câmara registraram presença na sessão. Desses, 263 votaram com o relatório do deputado Abi-ackel (PSDB-MG), ou seja, a favor do arquivamento da denúncia; 227 votaram "não", resultando em vitória governista. OPINIÃO - Para aqueles que esperavam a continuidade da investigação e até a cassação do mandato de Michel Temer, se decepcionaram. O congresso nacional, ou a maioria dos deputados, que era exigida, sobrou e venceu o relatório do PSDB, que pedia o arquivamento da denúncia. Outras acusações podem vir, mas a atual foi enterrada neste dia 02 de agosto, de 2017. A quem acredita, principalmente os empresários, e foi o que argumentou a maioria dos parlamentares a favor do presidente, que tirar do poder, mais um governante, seria ainda pior para o Brasil, mas também há uma grande parcela da população que gritava "Fora Temer", os mesmos que desaprovam o seu o governo e que acham que é hora de passar o País a limpo, doa a quem doer. Acreditar nas vozes do congresso, fica difícil, porque os Governistas, mutias vezes, com interesses escusos, votam sim, para interromper as investigações em um processo de barganha que ficou evidente. A oposição defende que Temer não teve voto para se eleger, é um corrupto, tem um governo ilegítimo e precisa cair, mas também perde o crédito, quando defende uma quadrilha que já foi presa, meteu a mão no dinheiro público, teve que devolver dinheiro e engorda as cadeias do colarinho branco. Por tando, parece que estamos sem caminho, mas não podemos perder a esperança e devemos acreditar que um futuro melhor é preciso e pode ocorrer. Talvez o grande momento será o pleito eleitoral, quando podemos jogar no lixo aqueles que já prestaram um desserviços ou estão ligados a eles (Texto de Ronaldo Alves Senes, o "Berimbau". O QUE OCORRE - Com a rejeição da denúncia da Procuradoria Geral da República contra Michel Temer por corrupção passiva, o o processo ficará parada no Supremo Tribunal Federal e deverá ser retomado quando Temer deixar a Presidência, em 31 de dezembro de 2018, momento em já não será mais necessária autorização de um órgão externo para que o Judiciário acolha a denúncia e abra o processo. DENÚNCIA - Com base nas delações premiadas do executivo do grupo J&F, que controla a JBS, que gravou o presidente supostamente combinando propina para o então deputado Eduardo Cunha e houve até filmagem do assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, com mala de dinheiro, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia denunciado Temer ao STF pelo crime de corrupção passiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário