sábado, 9 de setembro de 2017

CORRUPÇÃO - GEDDEL NA CADEIA

Geddel Vieira Lima volta para prisão em regime fechado após apreensão de malas de dinheiro 

Justiça decretou a prisão preventiva do ex-ministro Geddel Vieira Lima três dias depois da apreensão de R$ 51 milhões num apartamento em Salvador.  Geddel Vieira Lima, do PMDB, ex-ministro de Michel Temer, voltou nesta sexta-feira (8 de setembro) para prisão em regime fechado. A Justiça decretou a prisão preventiva dele três dias depois de o Brasil inteiro ficar boquiaberto com a descoberta de uma fortuna em um apartamento ligado a ele. Geddel cumpria prisão domiciliar por tentar atrapalhar investigações sobre fraudes na Caixa Econômica. Eram seis da manhã quando a Polícia Federal chegou ao prédio onde mora o ex-ministro Geddel Vieira Lima, num bairro nobre de Salvador. Um vendedor ambulante e um funcionário do condomínio foram chamados para servir de testemunhas. Uma hora depois, Geddel foi levado pela Polícia Federal. A PF também fez buscas no apartamento da mãe dele, Marluce Vieira Lima, que mora no mesmo prédio. Logo em seguida, outra equipe deixou o local levando um malote. Numa casa de um condomínio em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, a polícia prendeu Gustavo Ferraz, amigo e aliado político de Geddel, e também fez buscas. Ele era diretor da Defesa Civil de Salvador desde de o começo do ano e foi exonerado logo após a prisão.  Gustavo é advogado, tem 50 anos e também é do PMDB. Ele já exerceu vários cargos públicos e foi candidato a vice-prefeito de Lauro de Freitas em 2016. A polícia identificou fragmentos de digitais dele e de Geddel no material que foi apreendido. Na terça-feira, R$ 51 milhões foram encontrados num apartamento de um prédio em Salvador que foi emprestado ao ex-ministro.  A Polícia Federal e o Ministério Público pediram as prisões preventivas e a busca e a apreensão para evitar a destruição de provas importantes nas investigações. A polícia tinha descoberto que havia uma pessoa ajudando Geddel na movimentação das malas de dinheiro. Os mandados de prisão e busca foram expedidos pelo juiz Valisney Oliveira, da Justiça Federal de Brasília.  No apartamento, segundo a Justiça Federal, também foi encontrada uma fatura em nome de Marinalva Teixeira de Jesus, que trabalha com o irmão de Geddel, o deputado federal Lúcio Vieira Lima, do PMDB.  Ainda de acordo com a Justiça, o dono do imóvel, Silvio Silveira, disse que emprestou o apartamento ao irmão de Geddel, o que foi confirmado pela administradora do condomínio. As malas onde estavam o dinheiro foram colocadas numa caminhonete da Polícia Federal e levadas para o aeroporto. As provas seguiram para Brasília junto com o ex-ministro e Gustavo Ferraz. Os dois embarcaram para a capital federal no começo da tarde. (Jornal Nacional)

Nenhum comentário:

Postar um comentário