quarta-feira, 8 de novembro de 2017

JULGAMENTO - APUCARANA

Acusado de homicídio em Apucarana, foi a julgamento, mas a defesa conseguiu desqualificar para lesão corporal grave 
Aconteceu no dia 07 de novembro, julgamento de acusado de homicídio no Fórum Desembargador Clotário Portugal, em Apucarana. Na verdade são dois acusados: Sílvio Aparecido Marques, o "Silvinho", que foi a julgamento, e Luiz Henrique de Oliveira, moradores da Vila Regina, o qual se livrou do júri por ter recorrido a  prescrição da pena, por ele ter menos de 21 anos, há época dos fatos. A vítima: Valmir Costa Mafra. O fato aconteceu no dia 27 de outubro de 2001, na Rua Ponta Grossa, em frente a Loja de Móveis São José. Os dois passaram a discutir com Valmir, que queria parte da bebida alcoólica que eles estavam consumindo. Houve um bate boca e Valmir se afastou, mas pouco depois foi alcançado e supostamente pego de surpresa próximo a Farmácia Santa Maria. Há informações que Luiz Henrique deu o primeiro chute pelas costas e o derrubou. O segundo, aplicou mais ponta pés, inclusive na cabeça e pescoço. O ferido foi hospitalizado, chegou a receber alta, mas voltou a ser internado com dores na cabeça e veio a óbito. Sílvio, através do seu advogado, negou que tivesse a intenção de matar e que sua agressão foi apenas um lesão corporal, porque a vítima foi hospitalizada e depois recebeu alta. Apesar da promotora, Dra  Marina Sanches, pedir a condenação sustentando a tese do motivo fútil, que impossibilitou a defesa, o Advogado conseguiu desqualificar para lesão corporal grave, e a pena ficou em 5 anos, no regime semiaberto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário