sábado, 11 de novembro de 2017

LACRADAS - Balsas lacradas em Godoy Moreira e Ariranha do Ivaí

Marinha do Brasil fiscaliza embarcações de transporte de carga e passageiros na região
Centro-Norte do Estado do Paraná
A Capitania Fluvial do Rio Paraná (CFRP), ao realizar ações de fiscalização do tráfego aquaviário com fulcro na Lei nº 9.537/1997, lacrou, no dia 07 de novembro de 2017, as balsas de travessia“Augusta Delfino”, no rio Ivaí, município de Ariranha do Ivaí, e “Corumbataí”, no rio Corumbataí, município de Godoy Moreira. As embarcações estão impedidas de operar por questões de segurança da navegação, e os respectivos rebocadores, “Maria Lourdes de Ribeiro” e “Corumbataí I”, também foram lacrados devido a irregularidades.  A balsa “Augusta Delfino” fazia a travessia que interligava Rio Branco a Ariranha do Ivaí. Uma equipe de Inspeção Naval da Marinha do Brasil verificou que a embarcação operava com alagamento no porão, sem barras de proteção lateral para os passageiros, extintor de incêndio vencido, sem a Bandeira Nacional e discrepâncias nas luzes de navegação e na documentação de inscrição. O rebocador “Maria Lourdes de Ribeiro” estava com a mangueira de combustível furada, fiação elétrica exposta, apresentava reservatório de combustível inadequado e falta de colete salva-vidas para o condutor da embarcação. Todos os itens apontados colocam em risco a vida das pessoas que fazem a travessia do rio Ivaí. A balsa “Corumbataí” fazia a travessia da rodovia estadual PR-535 entre os municípios  de Godoy Moreira e Barbosa Ferraz, e a  Inspeção  Naval verificou sinais de utilização recente da balsa em condições inadequadas, como o porão alagado, sem cabo de aço para manobrar a rampa de acesso e com o extintor de incêndio vencido.  O rebocador “Corumbataí I” apresentava o eixo do motor exposto, com risco iminente de acidentes. O extintor de incêndio também encontrava-se vencido, e a embarcação utilizava boia não homologada. O condutor não encontrava-se na embarcação no momento da fiscalização. Para voltarem a operar, os proprietários das embarcações lacradas devem sanar as irregularidades constatadas junto à CFRP. A Inspeção Naval da Marinha do Brasil tem como principais propósitos zelar pela segurança da navegação, salvaguardar a vida humana, e evitar a poluição das águas jurisdicionais brasileiras. A CFRP incentiva que os usuários das embarcações de transporte de passageiros e carga apoiem a fiscalização como um ato de cidadania, a fim de contribuir, em caráter permanente, para a segurança da navegação. Neste sentido, as suspeitas de irregularidades devem ser comunicadas à Capitania Fluvial do Rio Paraná pelo telefone (45) 3523-2332 ou pelo e-mail cfrp.secom.@marinha.mil.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário