quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

BORRAZÓPOLIS - POLÊMICA

Após polêmica prefeito Adilson Luchetti decidiu retirar imagens de Santos impressas nos calendários que são distribuídos aos evangélicos. Será o fim ou o começo da Polêmica?
Vereador João da Dita 
       BERIMBALADAS - O Vereador João Cândido Ferreira, o "João da Dita", do PP, de Borrazópolis, membro da Igreja Assembleia de Deus, enviou uma nota para o Blog do Berimbau e a Rádio Nova Era  e também um ofício a prefeitura, agradecendo o prefeito Adilson Luchetti, o "Didi", por ter atendido o seu pedido e retirado do calendário, que a prefeitura distribuiu aos moradores evangélicos, as imagens de "Santos", o que segundo ele, desagradava a comunidade evangélica, da qual o mesmo faz parte. "Dirijo-me a vossa excelência para externar meus agradecimentos pelo atendimento da proposição de minha autoria que sugeriu a retirada de imagens que identificavam crença ou religião e que constavam nas folhinhas. Tal atitude denotou respeito e sensibilidade as comunidades religiosa que tem doutrinas que não cultuam imagens. Por isso, cabe reconhecer e manifestar meu contentamento e agradecimento", diz nota assinada pelo vereador João da Dita e que foi entregue ao poder executivo.  O Prefeito "Didi", também falou a nossa reportagem (Blog do Berimbau) e afirmou que para evitar polêmicas, foi feito um levantamento apontando cerca de 400 casas de evangélicos e  2.000 de católicos. "Fizemos 700 calendários sem as imagens e o restante, como sempre ocorreu,  foi produzido com a foto do Cristo Redentor. Espero, com isso, o fim das polêmicas entorno deste tema", disse o prefeito. Afirmou ainda que o próprio vereador se encarregou de entregar os calendários diferenciados os membros das Igrejas evangélicas.  Nas redes sociais, vários católicos criticaram o vereador, dizendo que a prefeitura apenas destacava os pontos turísticos e que a comunidade católica não cultua e nem adora as imagens, apenas venera estes personagens Santos que estão como modelos na Bíblia Sagrada e eram pessoas próximas  ao Cristo, o Rei da humanidade.   INÍCIO DA POLÊMICA - Em outubro, de 2017, o vereador fez uma indicação, de número 039/2017, solicitando ao prefeito Adilson Luchetti, que em materiais gráficos da prefeitura, como calendários, carnês de IPTU e outros, não constem referências a imagens de Santos, ou fundamentos da legalidade religiosa de qualquer que seja a crença. O documento dizia "O vereador que a esta subscreve, nos termos regimentais vigentes, indica ao Exmo. Senhor Prefeito Municipal, o que segue, conforme o Art. 19º, inciso I,II,II, da Constituição Federal, que visa à liberdade religiosa; o Órgão Público não deve praticar atos que venham ferir os princípios, fundamentos da legalidade religiosa de qualquer que seja a crença de uma religião, tratando assim todos os cidadãos iguais, conforme o Art. 5º Caput. Da constituição Federal. Por essa razão. pede-se que não seja confeccionados Calendários, Carnês de IPTU e outros, com qualquer divulgação, ou imagem que venha indicar ou identificar a crença de uma religião, pois, Estado laico é Estado neutro", diz a indicação. . "João da Dita", justificou o pedido com o seguinte argumento: "Hoje no nosso município há diversidades de prática religiosa, e por esta razão, muitos cidadãos sentem-se constrangidos e insatisfeitos com a divulgação impressa que prioriza uma crença e ícones religiosos. Sabe-se do relevante papel que as religiões desenvolvem, objetivando a melhoria de qualidade de vida do ser humano. O Brasil é um país essencialmente cristão, mas a constituição Federal não tem credo algum, assistindo a todos brasileiros de forma igual, seja a maioria ou a minoria", salientou. Para ver mais detalhes a primeira matéria que causou toda a polêmica, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário