quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

POLÊMICA - Cobrança da taxa de lixo gera polêmica em Jardim Alegre

                         TAXA DE LIXO                          
Contribuintes de Jardim Alegre receberam boletos para pagamento a vista ou automaticamente será cobrado na conta de água. Prefeito concedeu entrevista e disse que não há motivos para polêmica 

ENTREVISTA - Ouça a matéria completa no link de vídeo, a esquerda 

         O 2018 começou com um tema polêmico em Jardim Alegre, que é a cobrança da Taxa de Lixo na conta da Sanepar, projeto de lei de autoria do executivo e que foi debatido em 2017, como também aprovado pela Câmara de Vereadores. Pelas redes sociais, algumas pessoas criticaram, ao receber a cobrança em cota única neste primeiros dias de 2018. "Nós queremos alertar que a cobrança, via boleto, cota única, foi enviada a todos os moradores. Sé o cidadão não quiser pagar a vista, fique tranquilo, porque automaticamente a taxa será dividida em 10 pagamentos na conta de água com o mesmo valor e sem juros", disse o prefeito José Roberto Furlan, em entrevista a Rádio Nova Era e Blog do Berimbau. Ele também disse que o tema já foi amplamente debatido em 2017, e que algumas pessoas tem usado as redes sociais para mentir e promover ataques pessoais. "Nós fizemos prints de algumas calúnias e quem está mentido terá que responder na justiça", salientou. Alguns moradores fizeram contato com nossa reportagem reclamando do valor, que seria em média 200 reais, mas o chefe do poder executivo afirmou que a média é 72 reais, e que o volar, dividido em 10 pagamentos, fica praticamente irrisório, se comparado ao serviço que a prefeitura está realizado, que é a coletada do lixo, destinação correta, limpeza da cidade e outros benefícios. No link de vídeo, ouça a entrevista completa com o prefeito e saiba mais detalhes. SOBRE O PROJETO- Pela proposta, publicada no diário oficial, foi instituído o código tributário do Município com a arrecadação da Taxa de Coleta de Lixo permitida na conta de água/esgoto da Sanepar e na mesma data de vencimento. O projeto ainda reza que a Taxa será lançada com base na Unidade de Referência do Município - UR, em função da classe do gerador de lixo, da categoria e do número de economias de uso do imóvel, correspondendo o seu valor à aplicação dos coeficientes especificados na Tabela de Cobrança. Para visualizar todas as normas, o leitor do Blog do Berimbau pode verificar neste link clique aqui. Na mesma entrevista, o prefeito falou sobre as conquistas de 2017, de projetos importantes, como a compra de apostilas do Sistema Maxi de Ensino, que vai melhorar a qualidade da educação. Também de sua intenção que é faze a troca da iluminação pública da cidade, por lâmpadas de led, aumentado a eficiência e gerando economia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário