quarta-feira, 20 de junho de 2018

IVAIPORÃ - AUDIÊNCIA PÚBLICA

Investigador Osias Ienzen acompanha debate na Assembleia Legislativa e lamenta superlotação na carceragem de Ivaiporã
Osias Ienzen com Fernando Julião e Wellington Tenório - 
assessores do deputado estadual Ricardo Arruda 
O investigador Osias Ienzen, que trabalhou na 54ª Delegacia de Polícia Civil de Ivaiporã, por 4 anos, e atualmente lotado na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Saúde – Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, também acompanhou a audiência pública que debateu o tema: “O Problema das Carceragens nas Delegacias do Estado do Paraná”, na segunda-feira, dia 18 de junho, no Plenarinho da Assembleia Legislativa.  Segundo o investigador é necessário tomar alguma medida para diminuir a população carcerária nas delegacias do Estado para que a Polícia Civil exerça realmente as funções – conforme preceitua a Constituição Federal.  “Quando ficamos atrelados a custódia de presos deixamos de exercer a nossa função, que é investigar e solucionar crimes. Ou seja, garantir ao cidadão o direito de ver apurado o delito penal praticado contra ele”, opinou Osias Ienzen.  O investigador, que conhece bem a problemática da carceragem da 54ª Delegacia de Polícia Civil de Ivaiporã, lembrou que, em 2013, houve uma grande rebelião – incluindo refém. “O risco é muito grande para a população que reside e estuda próxima à carceragem de Ivaiporã. Considero um verdadeiro barril de pólvora. Além disso, a superlotação também é um risco para o próprio detento – sem mencionar que é desumano devido à falta de espaço físico. Portanto, é urgente e necessária que se tome alguma atitude, por exemplo, transferindo presos condenados para penitenciárias”, reforçou Osias Ienzen.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.