segunda-feira, 2 de julho de 2018

IVAIPORÃ - Jovem, ex-morador de Ivaiporã, foi assassinado na Capital

O rapaz, que vendia carros de luxo em Curitiba, foi baleado juntamente com o irmão, mas ele não resistiu
              Uma família de Ivaiporã, está pedindo investigação para apurar quem baleou dois irmãos, em Curitiba, sendo um deles veio a óbito. Os jovens são ex-moradores de Ivaiporã, mas já há algum tempo, estavam na Capital. O Blog do Berimbau e a Rádio Nova Era, apuraram que o rapaz assassinado, é Jemmes Camargo de Jesus, de 39 anos, cujo corpo foi transladado pela Funerária Nacional, de Ivaiporã. O crime aconteceu no dia 28 de junho. Segundo a imprensa local, o crime ocorreu em um sobrado de classe média, em que viviam, no bairro Santa Felicidade, em Curitiba, na Rua Padre Cobalcchini, mais precisamente em um terreno com três residências. Na casa estavam apenas os irmãos, que foram identificados como Jemmes Camargo de Jesus, de 39 anos e Jair Ganz, de 28 anos. James morreu e Jair foi socorrido em estado grave ao hospital. Assim que os vizinhos ouviram os tiros e viram um Peugeot branco saindo da frente da casa, em alta velocidade, chamaram a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Jair foi ferido com um tiro na cabeça e três nos braços, sendo socorrido em estado grave para o Pronto Socorro. Já Jemmes não resistiu aos seis disparos espalhados por todo o corpo e morreu no local. Jemmes e Jair eram irmãos por parte de mãe e a casa em que viviam era alugada. O perito Marcos Teixeira, da Polícia Científica, explicou a Banda B, a qual publicou esta reportagem, que as vítimas estavam na sala da casa no momento dos tiros. “Houve um tiroteio ali na sala, disparos de pistola 9 mm. Um dos irmãos ficou morto no local e o outro fugiu até um carro, onde foi socorrido e levado pelo Siate do Corpo de Bombeiros ao hospital”, descreveu. O perito ainda esclareceu que os atiradores foram recebidos pelas vítimas, o que indica que possam ser pessoas conhecidas. “As portas não estavam violadas, então os autores tiveram o acesso facilitado, possivelmente eram conhecidos das vítimas”, afirmou. De acordo com informações de conhecidos, apenas Jemmes trabalhava vendendo carros de luxo e perfumes. O caso será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa.  ENVOLVIMENTO - Um leitor enviou para a nossa reportagem uma notícia publicada, em anos anteriores, onde um jovem de nome Jammes Camargo, aparece em uma ocorrência de estelionato aplicado em uma agência bancária, mas a Polícia não confirmou se seria a mesma pessoa que foi morta neste final de junho, de 2018.