sexta-feira, 24 de março de 2017

BRASÍLIA - Souza é eleito para Comissão de Agricultura e Pecuária

Ao ser eleito, alguns portais noticiaram que o parlamentar foi citado na Operação "Carne Fraca". O Deputado divulgou uma nota para esclarecer os fatos 
     O Deputado Federal do Vale do Ivaí, Sérgio Souza, do PMDB, foi eleito por unanimidade, na quinta-feira, 23, presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara. O parlamentar é natural de Arapuã, uma pequena cidade do Vale do Ivaí, no norte do Paraná, e tem como uma de suas bases, a cidade de Ivaiporã. A eleição na comissão foi considerada importante por prefeitos dos municípios da região, que avaliam que o político está se transformando em uma das principais personalidades do Congresso Nacional, o que é um grande feito. Um fato negativo que está afetando o parlamentar Sérgio Souza, é a operação Carne Franca, realizada pela Polícia Federal. Souza nega veementemente que tenha qualquer envolvimento com atos de corrupção ou algo parecido. No início da operação, o parlamentar divulgou uma nota fazendo esclarecimentos sobre um ex-assessor, cujo nome apareceu na Operação. Em seguida, foi feita uma segunda nota de esclarecimento por causa do seu nome citado em grampos, como tendo recebido,  do fiscal apontado como líder do esquema criminoso no Ministério da Agricultura e preso pela PF, Daniel Gonçalves Filho. Na conversa, o representante de uma cooperativa agrícola chega a afirmar ainda que o parlamentar teria “rabo preso”. O nome de Souza surgiu em um diálogo de 11 de abril de 2016 entre o ex-superintendente regional do Paraná e que estava lotado no Serviço de Vigilância Agropecuária no Porto de Paranaguá (PR) até a deflagração da operação, Gil Bueno de Magalhães, e um interlocutor identificado como Francisco e que representa a Cooperativa Agroindustrial Castrolanda, em Castro (PR). No ano de 2016, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) também afirmou da tribuna do Senado que foi pressionada no ano passado por Sérgio Souza e Serraglio para manter Daniel Gonçalves no cargo. Até o impeachment, a senadora era ministra da Agricultura no governo Dilma. RESPOSTA - Sobre as últimas acusações, Sérgio Souza esclareceu com a seguinte nota: "Diante das notícias e afirmações infundadas que têm sido veiculadas nos últimos dias, e na condição de parlamentar eleito pelos paranaenses, me sinto na obrigação de esclarecer:​ - A pessoa de Daniel Gonçalves foi indicado pela bancada do PMDB do Paraná. - Por se tratar de mera indicação, compete ao Ministro (a) da Agricultura efetuar ou não a nomeação. - Sobre a assertiva da ex-ministra Kátia Abreu de que teria sofrido pressão dos deputados para nomear o sr. Daniel Gonçalves, quem conhece a ministra sabe que ela não é de aceitar e muito menos ceder às pressões. Aliás, é necessário esclarecer que a então ministra Kátia Abreu foi quem pressionou para votar contra o impeachment da ex-presidente Dilma; - O trabalho da assessoria parlamentar compreende o acompanhamento de processos em órgãos do Governo Federal. Eventuais desvios de conduta, que foram apontados pela Operação Carne Fraca, deverão ser apurados e os envolvidos terão de prestar os devidos esclarecimentos" assinado - Deputado Federal Sérgio Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário