quinta-feira, 9 de março de 2017

INVESTIGAÇÃO - Delegado investiga ataque ao Sicredi de Kaloré

O Delegado de Jandaia do Sul acredita que há indícios fortíssimos da participação, de um homem preso, com as explosões no Sicredi. Um carro usado na ação foi localizado abandonado em Marumbi
ENTREVISTA - No link de vídeo saiba mais detalhes ouvindo as entrevista com o Delegado Dr. Adílson, de Jandaia, e com o preso Rodrigo Aparecido Ramos de Souza 
O Delegado Dr. Adilson José da Silva, de Jandaia do Sul, está empenhado, como sempre age nos casos que investiga, para desbaratar a quadrilha que aterrorizou Kaloré com explosões que destruíram o prédio da Cooperativa Sicredi, na madrugada de 07 de março, de 2017. No link de vídeo, a esquerda, você pode ouvir entrevista exclusiva, do Delegado, concedida ao radialista André Amaral, de Jandaia, onde ele diz que há indícios fortíssimos contra um jovem de nome Rodrigo Aparecido Ramos de Souza, de 35 anos, que foi preso em Mandaguari, com um veículo Cruze, placas de Londrina, horas após ao ataque ao banco. O repórter também entrevistou Rodrigo, o qual admitiu que estava em Kaloré e Borrazópolis no dia e na hora da ação criminosa, mas nega que tenha qualquer envolvimento com o crime. "Um Policial Militar de Kaloré, já tinha percebido o Cruze preto em atitude suspeita antes do crime. Pouco depois do ataque, o rapaz saiu de Kaloré com este mesmo veículo e foi abordado em Mandaguari, dizendo que participava de um churrasco na casa de parentes e que estava indo embora de madrugada. Tudo isso é muito estranho, isso além do fato de um amigo dele, de Kaloré, também ter afirmado que o rapaz deixou a atividade rural, há algum tempo, dizendo que iria se dedicar a ações criminosas contra bancos", disse o Delegado Dr. Adílson. No celular de Rodrigo, foram encontradas fotos de armas e conversas com supostos criminosos que praticam este tipo de roubo. "Tem outro detalhe importante, que foi o fato do Rodrigo ter ido até uma casa de prostituição em Kaloré, onde ficou questionando pessoas sobre o comportamento da Polícia, ou quantos PMs tinham na cidade e outros detalhes que só interessava a uma quadrilha que pretendia cometer tão crime. Soma-se a isto, o fato de na madrugada os banco ter sido atacado" salientou o Delegado. Para o Dr. Adílson, Rodrigo não participou do ataque, mas pode ter sido a pessoa que atuou como olheiro, passando informações privilegiadas. O jovem preso negou qualquer envolvimento. Ele disse que seus pais residem na zona rural e que veio de Londrina para passar uns dias na casa de familiares. Afirmou que esteve em Borrazópolis, onde sacou dinheiro no Banco do Brasil, e que naquela madrugada, fez um churrasco na zona rural com alguns amigos, mas que não cometeu crimes e que vai provar sua inocência. "Eu tentei passar na frente do banco, mas a Rua estava impedida. Então fui pelas ruas do fundo e passei por blitz em Marumbi, Jandaia e somente em Mandaguari eles me abordaram", afirmou Rodrigo. No link de vídeo, há mais detalhes e as entrevistas na íntegra. VEÍCULO RECUPERADO - Na quarta-feira, dia 08 de março, um veículo Ford Focus, ano 2014, modelo 2015, cor branca, placas de Apucarana (PR), que havia sido furtado em janeiro na própria cidade de Apucarana, foi localizado na conhecida estrada do Borba.   Clique aqui para rever a notícia do ataque ao banco. ELOGIOS - Em Jandaia e Região, a população já percebeu a dedicação do Delegado Dr. Adílson, um homem sério, íntegro, dedicado,  em sua função,  e que já deu um verdadeiro golpe na violência e na malandragem, revelando competência e compromisso com a segurança. Por isso, tem, também um voto de confiança da imprensa.  (Colaboração especial do Repórter André Amaral, nesta reportagem - Fotos e áudio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário