quarta-feira, 3 de maio de 2017

A SOLTURA DE JOSÉ DIRCEU

Moro determina que José Dirceu deixe a cadeia com tornozeleira eletrônica
O Supremo Tribunal Federal  comunicou o juiz Sérgio Moro sobre a concessão do Habeas Corpus que revogou a prisão preventiva de José Dirceu.  José Dirceu foi preso no Complexo Médico Penal, onde trabalhava oito horas por dia na biblioteca registrando os empréstimos de livros para os detentos.  José Dirceu foi preso em agosto de 2015 e transferido para o complexo no mês seguinte. Ele já havia sido julgado e condenado pelo juiz Sérgio Moro duas vezes há mais de 32 anos de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Na terça-feira (02 de maio), os procuradores da força tarefa da Lava Jato apresentaram novas denúncias contra o ex-ministro por lavagem de dinheiro, alegando que ele continuou a cometer crimes enquanto era julgado pelo mensalão do PT. A decisão de soltar José Dirceu seguiu uma tendência do Supremo Tribunal Federal que na semana passada libertou outros dois condenados na Lava Jato: o empresário José Carlos Bumlai e o ex-deputado do Partido Progressista, João Cláudio Genu. O julgamento de Dirceu terminou com placar de três votos a dois, a favor de Dirceu, como mostra o vídeo com a reportagem completa. O juiz Sérgio Moro estabeleceu condições para  José Dirceu fora da cadeia. Ele será monitorado por tornozeleira eletrônica e não poderá sair da cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo, onde mora. Não poderá deixar o país e terá que entregar os passaportes. Dirceu fica proibido de se comunicar com outras testemunhas dos processos e terá que comparecer às audiências desses processos. O juiz Sérgio Moro não determinou a prisão domiciliar. A única exceção aberta pelo juiz é que José Dirceu possa se encontrar com testemunhas de defesa do processo dele, mas com o intermédio dos advogados. Não foi estabelecido o pagamento de fiança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário