quarta-feira, 3 de maio de 2017

DIA DA ASMA: Entrevista especial com Dr. Luiz Carlos Busnardo

Dr. Luiz Carlos Busnardo, Pediatra, de Apucarana, falou com o repórter Ronaldo  Senes, o "Berimbau", sobre o o Dia Mundial da Asma – Doença atinge 20% das crianças

ENTREVISTA - Ouça a entrevista com o Médico no Link de Vídeo    
No dia 02 de maio, de 2017, o repórter Ronaldo Alves Senes, o "Berimbau", da Rádio Nova Era/ Vale do Ivaí e Blog do Berimbau, falou com o conceituado médico Dr. Luiz Carlos Busnardo, de Apucarana, uma referência na área de pediatria no Paraná. O tema foi o Dia Mundial da Asma, comemorado sempre na primeira terça-feira do mês de maio. O médico falou da incidência da doença, principalmente em crianças. Questionando sobre aumento do diagnóstico da alergia, afirmou que ela, a alergia, está ligada ao surgimento da Asma, e que o comportamento moderno das famílias, podem contribuir para a problemática. "Veja que no passado tínhamos crianças brincando no terreiro, subindo em árvores, jogando bola e praticando outras atividades. Hoje elas ficam confinadas dentro de casa, na frente de uma TV ou computador e ainda recebendo uma alimentação inadequada, fatores que contribuem para o aumento da doença", afirmou Busnardo.  "Em cada dez crianças, duas ou três são acometidas por doenças alérgicas, e a asma brônquica é uma doença alérgica", salientou.  Disse ainda que  90% crianças que tem asma vão conseguir a cura até os 08 anos de vida,  e mesmo aquelas que continuarem com a doença, terão vida normal se receberem o tratamento correto e continuamente. Na mesma entrevista, alertou para que os pais, ao se deparar com sintomas, procurem um médico. "Uma mãe, por exemplo, coloca o filho no "pula pula" ou para fazer um atividade física. Se a criança começa a tossir, ela pede para o filho parar com o argumento de que a tosse vai passar. Isso chamamos de Asma Controlada inadequadamente", disse o médico. Vale a pena ouvir a entrevista para saber mais. Ainda segundo o Portal www.paranashop.com.br, o tema do Dia da Asma, de 2017, foi: “Ar Melhor, Respiração Melhor”. O evento anual é organizado pela Global Initiative Asthma (GINA) para melhorar a conscientização e o cuidado da asma em todo o mundo. Conhecida também como bronquite, bronquite asmática, entre outros nomes, a asma atinge cerca de 20% das crianças do Brasil. Por ano, são 2 mil mortes de adultos e crianças, e a falta de informação é um dos fatores que mais contribuem para os óbitos por asma, doença respiratória que está entre as mais prevalentes do mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que 235 milhões de pessoas sofram de asma. Caracterizada pelo chiado no peito, tosse e falta de ar os especialistas a classificam como controlada ou não, e de difícil tratamento ou com pouca resposta. Diz-se que é considerada de difícil tratamento quando o paciente não aceita o uso das bombinhas, tem medo de usar corticoide, devido aos efeitos colaterais, e isso faz com que a pessoa não observe o tratamento. “Além de dificultar o tratamento, a doença fica sem controle, ou seja, a asma pode impedir que a criança deixe de realizar as suas atividades cotidianas, como ir à escola, jogar bola, correr, já que a falta de ar incomoda muito”, comenta o Coordenador do Departamento Científico de Asma da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), Dr. Flávio Sano.  (Fontes - Blog do Berimbau, Site Dicas de Saúde/ e  TN News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário