quinta-feira, 22 de junho de 2017

POLÊMICA - Manifesto com o "Dia do Abraço" na cadeia de Ivaiporã

População foi às ruas exigir transferência de presos, obras na carceragem e fizeram um cordão humano em volta da Delegacia de Ivaiporã
MATÉRIA - No link de vídeo, ouça reportagem completa com entrevistas e mais detalhes 
      A data de 22 de junho, de 2017, foi marcada como o "Dia do Abraço", e considerada histórica em Ivaiporã. Moradores do município e de cidades vizinhas, saíram às ruas para um protesto inédito e que demonstrou a revolta com o Governador Beto Richa, que ainda não resolveu um antigo problema da cadeia pública do município, que é a superlotação,  falta de condições de trabalho e de manutenção de detentos no local.  O pastor Osias Mainardes (Igreja Batista), foi um dos líderes da comunidade e fez uma fala especial comentado a situação insuportável. Em uma matéria especial, do repórter Ronaldo Alves Senes, o "Berimbau", que é possível ouvir no link de vídeo, ele entrevistou o presidente do Conseg de Ivaiporã, Jair Burato, o vice presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia, de Curitiba (Dr. Ricardo), falou com familiares de presos, pastores e outras pessoas que narraram indignação com o que vem ocorrendo em Ivaiporã. Conforme já havíamos noticiado, a população da Comarca de Ivaiporã, que inclui os municípios de Jardim Alegre, Ariranha do Ivaí, Arapuã e Lidianópolis, decidiu protestar na Praça Manoel Teodoro da Rocha, e exigir do Estado duas ações imediatas: transferência de presos condenados e obras urgentes na carceragem da 54ª Delegacia de Polícia Civil de Ivaiporã, que tem capacidade para 32 presos, mas se encontra com 166 detentos. Após concentração na Praça Manoel Teodoro da Rocha, os participantes seguiram em direção a 54ª Delegacia de Polícia Civil, onde foi feito o cordão humano. O percurso do manifesto contou com apoio da Polícia Militar. O movimento foi sugerido pelo presidente do Conselho Comunitário, Jair Burato, após reunião no dia 8 de junho, no salão nobre da Prefeitura de Ivaiporã, onde estiveram representados os municípios da Comarca; subcomandante da 6ª Companhia Independente de Polícia Militar de Ivaiporã, capitão Élio Boing; presidente da Câmara de Vereadores, Nando Dorta; representantes da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Ivaiporã, Ministério Público e do Corpo de Bombeiros; presidentes dos Consegs da região; Apac (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados); Lojas Maçônicas; líderes comunitários; e Acisi (Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Ivaiporã). Entre os 166 presos, cerca de 70 foram condenados pela Justiça e deveriam cumprir penas em penitenciárias, e não em carceragem, onde devem ficar apenas presos provisórios. Durante o manifesto, a população foi convidada a assinar um abaixo-assinado, que será enviado ao Governo do Estado, exigindo providências que amenizem a superlotação na carceragem, e onde as tentativas de fuga aumentaram entre janeiro e junho. Os sacos de barro expostos no exterior da 54ª Delegacia de Polícia Civil são reflexos das mais recentes tentativas de fugas, impedidas pela Polícia Civil com apoio da Polícia Militar. O pastor Osias Mainardes (Igreja Batista), que produziu um vídeo, na segunda-feira, dia 10 de junho, mostrando o interior da carceragem, contou que os presos não têm espaço para dormir e nem condições de higiene. “Os presos dormem em colchoes molhados, vivem doentes e convivem com ratos, baratas, percevejos e piolhos. Há presos que acordam com a boca mordida por baratas”, descreveu o pastor. No link de vídeo, matéria completa, e no clicando aqui, ou no link abaixo, mais fotos do evento.














Nenhum comentário:

Postar um comentário