sexta-feira, 1 de setembro de 2017

POLICIAL - A morte do preso e sua repercussão em São João do Ivaí

Investigação aponta que detento morto durante confronto com a Polícia Militar, não simulou problemas de saúde e estava mesmo doente. A fuga ousada chamou atenção  e foi destaque no portal G1 e outros sites nacionais

     Nesta sexta-feira, dia 1º de Setembro, de 2017, mais informações foram reveladas sobre o preso Carlos Alberto Ravaneli da Silva, 23 anos, detento que morreu em confronto com a Polícia Militar, equipe Rotam, em São João do Ivaí, na tarde de quinta-feira, dia 31 de agosto, de 2017. Como noticiamos, as primeiras informações, eram de que um preso simulou problemas de saúde forçando o atendimento hospitalar, mas ficou evidenciado que ele não simulou e que realmente tinha um sério problema renal, algo que ficou constato pelo médico. No dia dos fatos, a Polícia Civil o conduziu até o Hospital da cidade, sendo que na unidade de saúde, um agente, com a função de carcereiro, ficou na vigilância, até que o médico fizesse a consulta. Primeiramente se cogitou que outros meliantes o arrebataram, mas as informações oficiais dão conta de que ele agiu sozinho. "O indivíduo pediu para ir ao banheiro e pouco depois, voltou com uma arma de fogo apontando para o Policial. Também exigiu que as algemas fossem abertas. Com as mãos livres, pegou a chave da ambulância, com a qual saiu em alta velocidade", informou a PM. Um inquérito policial vai apurar como esta arma chegou até o meliante e os detalhe exatos da fuga. Ocorrido o fato, o cerco foi fechado na região, até que a ambulância foi percebida seguindo para o Distrito de Santa Luzia da Alvorada, na PR 650, sentido Godoy Moreira. Há informações que durante o acompanhamento tático, o detento manobrou e pegou o sentido inverso da via, voltando para a cidade. Os policiais ficaram parados e ao lado da viatura, realizando o bloqueio, mas o motorista, em um ato de fúria, jogou a Van na direção da equipe, atropelando João Elias Rodrigues, o "Soldado Rodrigues", inclusive chegou a passar, com o rodado, por cima do PM, que ficou gravemente ferido. "Quando tentamos a abordagem, realizando um bloqueio e utilizando a própria viatura policial, o individuo em fuga, arremessou o veículo que estava conduzindo e atropelou o policial militar. Neste momento, revidamos, efetuando disparos, todos em direção ao veículo, no intuito que o agressor parasse, mas sem êxito. Após o atropelamento, continuou, sendo acompanhado pela ROTAM. Enquanto isso, os colegadas do Destacamento local prestavam socorro ao PM ferido", informou o Boletim da 6ª Companhia Independente de Ivaiporã. O confronto que resultou na morte do presidiário, aconteceu na Vila Santa Terezinha, bairro urbano de São João do Ivaí, segundo informações, após abandonar a ambulância, ele continuou a fuga em uma motocicleta e se homiziou em uma casa . "Populares informaram que o fugitivo havia chegado com a referida moto demonstrando nervosismo e pedindo um local para se esconder. Diante da informação, demos início as buscas no quintal e na residência, sendo que nos fundos do terreno, dentro de uma pequena casa abandonada, foi localizado a pessoa do foragido que investiu contra a equipe policial apontando uma arma de fogo do tipo revolver. Revidamos efetuado 03 disparos no intuito de resguarda a integridade física da equipe policial, mas o meliante ferido, não resistiu", finalizou o boletim da PM. Todas as providências foram tomadas em relação ao caso. O Soldado Rodrigues, que tem 11 anos, de Militar, foi levado para Ivaiporã, de onde seria transferido para Londrina. Na manhã de sexta-feira, dia 1º de Setembro, informações davam conta de que ele se recupera bem. A notícia ganhou repercussão estadual e até nacional, como, por exemplo, no portal G1 que também repercutiu a fuga com final trágico.
     POLÊMICA - A morte do detento reacende uma discussão sobre custódia de preso 
COMENTÁRIO -   Um problema antigo que vem sendo debatido, é a custódia de presos.  No Paraná, a Polícia Civil tem tido sua missão de investigar, prender e desvendar crimes, prejudicada pela inércia de Governos  que anunciam milhões de investimentos a cada quatro anos, mas muito pouca para a Segurança pública, até porque, não seria algo que iria repercutir como a construção de obras eleitoreiras que viram barganha por apoios e votos. O Brasil todo tem sido assim.  A Polícia Civil, não quer comentar o assunto, e entendemos, pois se reclamar ainda é possível que delegados, investigadores e demais agentes, ainda sejam perseguidos, descriminados e mais vitimados do que já são.  Presos, como este que morreu em São João do Ivaí e quase matou um Policial Militar, não deveriam estar nos mini presídios ou cadeias públicas, mas sim no Sistema Penitenciário, a disposição da Polícia Judiciária. Delegacia é ambiente para atender a população, apurar crimes e essencial para o combate a violência, pois a cada delito não descoberto, vira incentivo para muitos outros meliantes que vislumbram atacar fazendo novas vítimas.  Até quando vamos chamar agentes da Civil de "Baba de Presos", uma vergonha nacional, e sem esperança de solução. O pior, é que a Civil tem que fazer tudo isso, ainda com um número de funcionários reduzido. O cidadão, leigo e sem entender como funciona o sistema, ainda critica os Policiais e aplaude os políticos inaugurando obras desnecessárias ou jogando o nosso dinheiro na lata de lixo.  O Estado, o Brasil, precisa de gerentes, de administradores, não dessa gente hipócrita que realizam governos interessados na reeleição ou na intenção de transformar o poder em eterno. Reflitam e comecem a cobra quem realmente tem condições e obrigação de mudar, já que a conta, quem paga, somos nós ... ESTAMOS DE OLHO.  


2 comentários:

  1. Ação perfeita da polícia, deveriam ser condecorados.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir