quarta-feira, 25 de outubro de 2017

BRASÍLIA - DENÚNCIA BARRADA

Plenário da Câmara rejeita a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer por 251 a 233 votos 

O plenário da Câmara dos Deputados conseguiu os votos necessários para aprovar o parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), nesta quarta-feira (25 de outubro), e rejeitar a segunda denúncia apresentada contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB). Ao todo, foram 251 votos a favor do relatório, 233 contrários, 2 abstenções e 25 deputados ausentes. Às 20h35, de 25 de outubro, de 2017, a base governista já tinha o placar que precisava para barrar a denúncia: 157 votos favoráveis ao relatório do deputado tucano, além de 14 ausências e 1 abstenção. Essa soma já atingia 172 deputados, ou seja, um terço do total de parlamentares da Casa. Assim, a oposição não conseguia mais chegar aos 342 votos "não" necessários para recusar autorizar o STF (Supremo Tribunal Federal). No mesmo horário, eram apenas 136 votos contrários a Temer. Com esse resultado, a Câmara livra o peemedebista de responder no STF ao processo que, se fosse instalado, causaria o afastamento do presidente por até 180 dias. Agora, Temer só poderá ser processado após deixar o cargo de presidente da República. Acusação - Temer era acusado dos crimes de organização criminosa e obstrução de justiça pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot. Além de Temer, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), o empresário da J&F Joesley Batista e mais cinco pessoas eram alvo da ação do então procurador-geral da República. Para autorizar o STF a investigar o presidente, eram necessários 342 votos contrários ao parecer do deputado tucano. Por outro lado, no caso de Temer, eram necessários 172 votos para provocar o arquivamento da denúncia. (R7)
Depois de passar mal, o presidente Michel Temer deixou na noite desta quarta-feira (25 de outubro) o Hospital do Exército, em Brasília, sete horas após a internação
Ao deixar o hospital, ao lado da primeira-dama Marcela, Temer disse aos jornalistas: "Estou inteiro". O presidente também fez um sinal de positivo (veja na foto abaixo). No Twitter, o presidente também escreveu: "Boa noite! Hoje tive um desconforto e fui submetido a uma série de exames. Estou bem. A orientação médica foi p/ que eu fique em repouso pelos próximos dias. Agradeço a todos que enviaram mensagens preocupados com minha saúde." De acordo com a assessoria, Temer seguiu para o Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-presidência. Mais cedo, nesta quarta, Temer sofreu mal-estar enquanto despachava do gabinete dele no Palácio do Planalto. Segundo a Presidência, Temer teve um "desconforto" no fim da manhã e foi consultado, primeiro, no departamento médico do Planalto. Na ocasião, o médico que atendeu o presidente constatou obstrução urológica e orientou Temer a ir para o hospital. Por volta das 16h, o Planalto informou que Temer havia sido submetido a uma sondagem vesical de alívio por vídeo e passava bem. (G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário