quarta-feira, 11 de outubro de 2017

ORTIGUEIRA - Denúncia contra empresa que venceu licitação da prefeitura

        EXCLUSIVO - MAIS DETALHES     
Dr. Paulo Henrique, da empresa Diagnuz, fala sobre a denúncia contra empresa que venceu licitação milionária da Prefeitura de Ortigueira. Ele também questiona a postura da Secretaria de Saúde, mas o secretário negou qualquer irregularidade
VÍDEO - No link de Vídeo, ouça entrevista com o representante da empresa Diagnuz  e mais detalhes sobre o caso 
Na manhã deste dia 11 de outubro, de 2017, quem falou com o repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau", foi o Dr. Paulo Henrique, representante da empresa Diagnuz, autor de uma denúncia contra uma empresa que presta serviços na área de saúde para a prefeitura de Ortigueira. Conforme divulgamos o fato com exclusividade, a contratação de uma empresa para prestar serviços públicos em Ortigueira, foi alvo de uma denúncia feita ao GAECO e também diretamente no Ministério Público. Em sua página, na rede social, a denunciante aparece como Clínica Diagnuz - Medicina e Saúde, a qual afirma que a vencedora não estaria cumprindo com sua obrigação, que é prestar serviço de qualidade a população, e além do mais, supostamente a Secretaria Municipal de Saúde, de Ortigueira, também falhou em não cobrar responsabilidades. Veja o texto da denúncia, na íntegra e conforme está publicado: "A Clinica Diagnuz vem a público manifestar sua indignação pelo descumprimento por parte da empresa vencedora da Licitação e pela omissão por parte da Secretaria de Saúde de Ortigueira em tomar uma atitude conforme a lei 8.666 em punir por descumprimento a empresa METRA por descumprimento do contrato público de prestação de serviços à população de Ortigueira. -Não prestação de serviços de RX 24hrs ao Município de Ortigueira conforme contratado; não possui tomografia a uma distância de até 75km da cidade também conforme reza o contrato; e não providenciar o transporte do paciente de Telêmaco a Ponta Grossa conforme edital para que o paciente possa fazer a tomografia , deixando o custo ao município e danos ao erário. Pergunto: Qual o motivo que a Secretaria de Saúde de Ortigueira, sabendo do descumprimento do contrato público de prestação de serviços, dano coletivo a população que necessita do serviço, não tomou uma atitude conforme a lei da licitação vigente ? São mais de 6 meses de descumprimento e nada foi feito ? Em vista dos fatos, da ilegalidade e irregularidades, no dia 22 de Agosto o ministério público foi acionado para apurar os fatos e tomar as providências cabíveis", diz a nota. Na entrevista o Dr. Paulo, afirma que a licitação passa da casa dos cinco milhões. "Eu fico preocupado, porque se um cidadão sofrer um acidente grave e precisar de uma tomografia, ou outro procedimento, como ele vai ser colocado em um carro, levado para IBATI, a mais de 170 quilômetros de Ortigueira, que é o local para onde a METRA está transferindo as pessoas; tudo isso demanda tempo e deslocamento, colocando em risco a vida do paciente. Além do mais, custeado pela prefeitura, quando na verdade quem já recebe pelo serviço, é a empresa vencedora", disse o denunciante. Para ouvir a entrevista completa, clique no link de vídeo, onde mais detalhes são revelados. DIREITO DE RESPOSTA DA METRA - Nossa reportagem, Blog do Berimbau, falou com a empresa Metra, que tem sede em Telêmaco Borba. Segundo o responsável, de nome Douglas, não existe irregularidades e a denúncia não passa de uma calúnia que a Diagnuz terá que responder na justiça. Disse também que a vigilância sanitário já fechou instalações da Diagnuz e que ela, a denunciante, é que merece ser investigada. Sobre as falhas apontadas, disse que não tinha nada para declarar, porque tudo já foi esclarecido a quem é de direito. DIREITO DE RESPOSTA DA DIAGNUZ  - A Diagnuz, comentou a reposta da Metra, e disse que é uma clínica de excelência em Ortigueira, e seu maior prazer é ser investigada, pois sempre agiu com transparência e a população é testemunha da credibilidade conquistada. Disse ainda que não está cumprindo nenhum contrato licitatório para a prefeitura. "Sobre a vigilância sanitária, fomos alvos de várias denúncias, nos últimos dias, e acreditamos que seja uma retaliação daqueles que nunca fizeram nada por Ortigueira e agora se incomodam com quem faz", disse o representante da Diagnuz. PODER PÚBLICO - Nossa reportagem, dentro da postura imparcial, falou também com o Secretário de Saúde, de Ortigueira, o "Francisco". Ele rebateu as críticas e diz que a Diagnuz  desconhece totalmente o contrato.  "O equivoco começa quando eles dizem que a Metra presta este tipo de serviço; na verdade quem nos atende nesta área é uma outra empresa de nome ABM, que é a única com condições de prestar o serviço na região. Quando se fala em 75 km, isso é para radiologia e não para os demais procedimentos. Esclareço ainda que na licitação, uma outra empresa, a SIM, havia ganhado, mas ela foi desclassificada por falta de um documento", disse Francisco. "Abrimos o processo novamente, achamos que a SIM concorreria, fato que não aconteceu e somente a ABM participou.  O ministério público já nos solicitou documentos, encaminhamos tudo e desde que assumimos, nossa meta e zelar do dinheiro público e economizar", finalizou ele, que ficou de conceder uma entrevista na Segunda-feira, para detalhar ainda mais a legalidade do contrato.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário