segunda-feira, 9 de outubro de 2017

INVESTIGAÇÃO - Polícia de Ivaiporã identifica mandante de crime

O preso  Isael Ianischi é acusado de mandar matar a amásia.  Ao tentar executar o crime, dois homens de Campo Mourão atiraram na pessoa errada, uma adolescente de 14 anos 
Uma investigação inteligente e eficiente, comandada pelo Delegado Dr. Gustavo Dante, de Ivaiporã, desvendou detalhes de uma tentativa de homicídio que foi praticada na cidade  contra uma menor de 14 anos, conhecida como Carol. O alvo do mandante era Brunieli da Silva Delfino, mas a menor foi confundida e baleada por engano por dois elementos de Campo Mourão: Pedro Guilherme Castilho, 21 anos (Atirador), e Vilmar Cesar Cavalheiro, 42 anos (Motorista). Após o crime, os meliantes foram presos pela Polícia Militar, o que ajudou a Polícia Civil a apurar o que exatamente estava ocorrendo. Clique AQUI para rever a matéria da tentativa de homicídio. Ao investigar o crime, o Delegado apurou que a ordem para matar teria saído de dentro da própria cadeia pública, e que seu autor era Isael Ianischi, 29 anos. "Esse Isael, no natal de 2016, ele foi acusado de matar sua outra companheira, a Ariane Paula dos Santos Jacinty, 23 anos, também aqui em Ivaiporã - Clique AQUI para rever. Na cadeia, ele conheceu um rapaz de nome Jean Carlos Oleszinki, 24 anos, morador de Campo Mourão, o qual está em liberdade. Após uma motivação que seria ciúmes, o acusado usou o Whatsapp para pedir que Jean Carlos, contratasse alguém para matar a Brunieli, que é sua atual amásia e supostamente estaria grávida. Jean atendeu o pedido do amigo de cadeia e desta forma o crime foi encomendado", disse o Delegado Dr. Gustavo Dante, ao repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau".  A Polícia Civil juntou farto material com provas que incriminam os acusados, e representou no Poder Judiciário pela prisão de todos os envolvidos. Vale ressaltar que  Isael já está preso, assim como também o Pedro Coelho, que atirou contra a menor. Vilmar Cesar Cavalheiro, 42 anos, que estava com Pedro no dia do crime e era o motorista do carro, foi liberado mediante pagamento de fiança, mas também foi pedida a sua prisão novamente.  Já o Jean Carlos, se encontra em liberdade e está sendo procurado como participante da trama.  Os acusados negam envolvimento e os ouvidos,  até agora, se reservaram ao direito de falar somente em juízo.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário