quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

BORRAZÓPOLIS - Dengue e mudança no agendamento de consultas

              RISCO DE SURTO DE DENGUE           
Secretária de Saúde diz que a cidade vive um nível altíssimo de infestação do mosquito da dengue e se compara a Paranaguá.  Ela também anunciou mudanças no sistema de agendamento de Consultas 
ENTREVISTA - Ouça entrevista com a secretária Verá da Silva, no link de vídeo    
         A Secretária de Saúde de Borrazópolis, Vera da Silva, esteve nos estúdios da Rádio Nova Era para falar sobre dois temas importantes. Dengue e Consultas Eletivas no Hospital Municipal. Em relação a Dengue, a cidade está entre as 20 do Paraná com risco de surto; já sobre as consultas, afirmou que não haverá mais esse tipo de atendimento no Hospital, que atenderá apenas urgência e emergência. SOBRE A DENGUE - Vinte municípios paranaenses, dos 368, que passaram por um Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti, têm risco de surto de dengue, zika e chikungunya, conforme apurou a pesquisa. Essas cidades apresentaram índice acima de 4% (quatro ou mais casas infestadas para cada 100 pesquisadas) e demandam ações emergenciais para evitar o aumento (ou surgimento) de casos das doenças. Segundo Vera, Borrazópolis e Grandes Rios, são as duas do Vale do Ivaí. "Não temos nenhum caso, apenas uma pessoa de Faxinal que está na casa de sua mãe, em Borrazópolis, apresenta suspeita, mas estamos aguardando o resultado. Agora a preocupação é que com a infestação altíssima, se surgir um caso, a cidade toda corre o risco de contrair a doença", disse vera. Ela pediu que cada um cuide do seu quintal, para que o problema seja resolvido. Vale ressaltar que os municípios que apresentaram índices maiores do que quatro devem se precaver. Mesmo que não apresentem registros de casos de doenças transmitidas pelo mosquito, o risco existe e deve ser combatido com a eliminação dos focos. A recomendação para evitar aumento da infestação é não deixar focos de água parada e organizar uma rotina de limpeza semanal das residências e locais de trabalho. O resultado abaixo de 1 é considerado fora de perigo (menos de uma casa infestada para cada 100 pesquisadas) e de 1 a 3,9% é estado de alerta (de uma a três casas infestadas para cada 100 pesquisadas). O índice é resultado da comparação entre o número de imóveis visitados pelos agentes de saúde e a quantidade de focos com larvas do mosquito encontrados nas visitas. 20 CIDADES - Veja as cidades com índice acima de 4%: Jacarezinho; Paranaguá; Capanema; Nova Aurora; Douradina; Santa Helena; São José das Palmeiras; Guaíra; Amaporã; Lupionópolis; Dois Vizinhos; São Miguel do Iguaçu; Cidade Gaúcha; Londrina; Borrazópolis; Grandes Rios; Campo Mourão; Mamborê; Diamante d’Oeste e Maripá. CONSULTAS - Sobre as consultas, a secretária Vera da Silva, de Borrazópolis, afirmou que não haverá mais distribuição de fichas no Hospital Municipal, o qual só vai atender urgência e emergência a partir de agora. Quem desejar fazer uma consulta, deve procurar as UBSs- Unidades Básicas de Saúde, da Vila Roma, Vila Verde II e Clínica da Mulher. "Vai funcionar assim; quem quer fazer uma consulta preventiva, ou saber se está com algum problema, enfim, consultas normais do dia a dia, deve procurar as UBS, lá haverá médicos o dia todo para atender; já no Hospital Municipal, só vamos atender quem chegar com urgência, exemplo: acidente, pressão alta, infarto e outros problemas", explicou Vera. Ela acredita que com essas medidas, vai acabar as filas, os transtornos e principalmente a necessidade do cidadão acordar de madrugada para conseguir uma Ficha no Hospital Municipal. A secretária também informou que irá marcar uma reunião com os vereadores para explicar o novo sistema.Quer saber mais, ouça a entrevista no link de vídeo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário