02/06/2021

ROSÁRIO- Lockdown do prefeito Kuroda gera revolta de comerciantes

Os empresários protocolaram documento na Prefeitura e no Ministério Público alegando que as medidas não se justificam e que Rosário já vivenciou momentos mais críticos  
Ouça entrevista com o vereador Nathan 
   No município de Rosário do Ivaí, o prefeito Ilton Shiguemi Kuroda, editou um novo decreto, de enfrentamento a Covid-19, e gerou polêmica entre os comerciantes da cidade. O chefe do poder executivo alega que está seguindo recomendação da AMUVI - Associação de Municípios do Vale do Ivaí, e mesmo a cidade não estando num momento mais confortável, em relação a pandemia, determinou um Lockdown total nos sábados, domingos e feriados, até o dia 15 de junho, de 2021, fechando todas as atividades, até as essenciais e também proibindo a venda de bebidas alcoólicas durante o referido Lockdwon e, em qualquer dia da semana. Leia trecho do documento: "Permanece determinado toque de recolher durante a vigência deste Decreto, das 20h00 até às 05h00 do dia seguinte, para confinamento domiciliar obrigatório. No horário, fica vedado o funcionamento de quaisquer atividades, salvo urgências e emergências, serviços funerários, coleta de lixo e farmácia de plantão na modalidade delivery. No período compreendido entre 28/05/2021 à 14/06/2021 fica proibida a venda e consumo de bebidas alcoólicas em quaisquer estabelecimentos (clique aqui - decreto na íntegra)".  Indignados com a decisão do executivo e também com a falta de diálogo, não aceitando se quer receber representantes do comércio, os comerciantes organizaram um documento, assinado por 45 empresários. Ele foi protocolado na prefeitura e também no MP- Ministério Público. "Os Comerciantes vem por meio deste, solicitar que vossa excelência marque uma audiência pública ou que, ao menos atenda alguns representantes do comércio local, para que juntos possamos dirimir por sobre o novo decreto N° 082/2021. Existem fatos de destoam da nossa realidade, principalmente o suposto aumento significativo dos casos positivados em nosso município. Foi dito que, no dia anterior,  nas palavras do secretário de saúde, 07 novos casos haviam sido confirmados, com a possibilidade de subir ao patamar de dez casos, pois que vejamos: Já esteve o município com mais de 50   casos ativos; e mesmo assim não se fez necessário medidas tão agravadas abusivas", diz trecho do documento protocolado na prefeitura pelos  comerciantes (clique aqui - ofício dos empresário).  Eles citam leis federais e até o decreto estadual, que não reza medidas dão drásticas, inclusive, no final de semana próximo passado, o governador flexibilizou o toque de recolher, para bares, restaurantes e lanchonetes.   "Vejamos que mesmo no pior momento, houve de pronto o questionamento por sobre quais seriam as atividades essências e nos decretos ficaram claros que, de forma nenhuma, houve o tal fechamento total. E por consequência, agora, na última semana, um decreto do governo de Estado, foi editado, ampliando os horários de funcionamento de várias atividades, inclusive não essências, ou seja, nem no plano Estadual estamos assim tão abalados", argumentam os donos de comércio.  Na manhã, deste dia 02 de junho, os comerciantes foram a prefeitura, mas alegam que um funcionário, de nome Sidnei, se quer aceitou recebê-los, alegando que no decreto, em questão, o atendimento em órgãos públicos, está proibido. Mais tarde, foram atendidos pelo vice-prefeito e outro servidor.  Uma denúncia, que chegou a reportagem, é que o prefeito  está há alguns dias, somente em sua fazenda, despachando de lá e, inclusive, com maquinários da prefeitura neste local, que é propriedade particular, enquanto o seu decreto pode resultar na falência do comércio, que já está em crise severa. O prefeito não falou com a nossa reportagem, a qual ligou diretamente no seu celular. A ligação não foi atendida par que ele pudesse  exercer seu direito de resposta.  Assessores negaram a informação sobre o prefeito em sua fazenda. Por telefone, entrevistamos o vereador   "Nathan da Farmácia". Ele disse que tem tentado intermediar uma conversação entre o prefeito e o comércio e que, as experiências, até agora vividas, desde o início da pandemia, indicam que o comércio não tem sido o responsável pelo aumento de casos. Também endossou o argumento dos empresários, afirmando que Rosário do Ivaí, no dia 02 de junho, de 2021, amanheceu com apenas 4 casos ativos da doença, portanto,  o decreto do prefeitura e desproporcional. "Não sou contra editar decretos com medidas de enfrentamento, mas acho que temos outros caminhos para que as pessoas continuem trabalhando e promovendo os devidos cuidados", afirmou ele. No link de vídeo, ouça entrevista com o vereador. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA