20/09/2021

KALORÉ - Confusão termina em dois policiais feridos e um jovem baleado

Mãe, S. C., de 35 anos, quatro filhos, de 18, 17, 13 e 11 anos, e um irmão da mulher, de 31 anos, foram detidos em Kaloré, após uma confusão que terminou com dois policiais feridos, o cabo Andrey e o Antoniassi e um jovem, A. R. C., de 31 anos, baleado. O endereço da ocorrência, é o local conhecido como barracão. Tudo começou quando os soldados foram informados que, no Hospital de Kaloré, havia dado entrada,  um menor muito alterado, levado pela mãe, após ter brigado com com outros irmãos e após passar a tarde toda bebendo. O adolescente ameaçou funcionários, o guarda, quebrou uma lixeira fixada pela prefeitura em frente ao prédio e evadiu-se sentido a casa onde reside. Ao chegar na residência (no Barracão), os policiais foram informados que o menor havia corrido para um matagal. Ao fazer a incursão na mata, passando entre  vários barracos, o tio,  A. R. C., surgiu com o menor imobilizando. Foi informado que a mãe, precisava acompanhar a Polícia até o Destacamento, momento em que Antoniassi foi ameaçado. Também partiu para cima do cabo Andrey. Em seguida, pessoas, do meio do mato, começaram a jogar pedras e pedaços de pau na viatura e nos policiais. Consta no relatório, que a mãe, tentou tomar a arma do soldado, dizendo: "vou matar esses porcos", e desferiu um soco em sua face. Em seguida, começou uma confusão que resultou em uma em pancadas que atingiram a cabeça do Cabo, o que ocasionou um corte profundo, sendo possível visualizar o osso e recebeu 8 pontos. Ele também ficou lesionado no braço. O soldado sofreu um corte na boca, recebeu uma pancada forte na cabeça, com hematoma sem corte e apresentava muita dor nas costas. Os policiais usaram bastão, spray de pimenta e até tiros para o alto e para o chão, mas não conseguiram evitar um disparo contra o Joelho de A. R. C, 31 anos, para o conter de uma injusta agressão. A situação só foi controlada, com a chegada do reforço e equipe do ROTAM, da 2ª Companhia de Jandaia, comando do Tenente Thiago Mendes. No link abaixo, confira a integra do boletim, que é bastante extenso, mas onde os nomes foram retirados, para evitar a exposição dos menores. A defesa dos detidos, negam as acusações. 
 Boletim na íntegra 
Kaloré 22h05min
Natureza Lesão Corporal
Autores HOMEM – 31 anos (baleado)
MULHER – 35 Anos
MULHER – 18 Anos
HOMEM – 17 Anos
HOMEM – 13 Anos
MULHER – 11 Anos

Local Rua Professor Irineu Fitino – Centro
A equipe foi acionada via copom para deslocar ao hospital de Kaloré devido haver no local um menor muito alterado, que no local e enfermeira e o médico de plantão informou que o menor XXXX foi levado ao Hospital pela mãe (XXXX), pois havia brigado com outros irmãos após passar a tarde toda bebendo, que o menor ficou agressivo no interior do pronto atendimento, ameaçou o Guarda no Hospital e quebrou uma lixeira fixada pela prefeitura em frente ao prédio do hospital, logo após se evadiu sentido a casa onde reside. Que a mãe dele informou a equipe que ele estava em casa, que a equipe deslocou até lá, local conhecido como “barracão”, sendo que XXXX havia se embrenhado num matagal, que a equipe foi saindo com a viatura 12304 para realizar rondas entorno desse mato para ver se ele tinha saído na via pública, dado momento ainda na rua de terra no aglomerado de “barracos” conhecido como barracão, saiu do mato e abordou a equipe a pessoa de XXXX, segurando XXXX por um dos braços, sendo que XXXX entregou seu sobrinho XXXX a equipe, que dado voz de apreensão ao menor e dito a sua genitora senhora XXXX que teria que acompanhar seu filho para procedimento devido o dano ocasionado na lixeira, momento que XXXX ameaçou o Sd. XXXX dizendo “você mora em Marumbi eu sei onde, ninguém vai levar ninguém daqui não.” E partiu pra cima do Cb. XXXX, sendo que simultaneamente começou várias pedras serem arremessadas do interior da mata contra a equipe e viatura, momento que algumas crianças surgiram com pedras e pedaços de madeira saindo do interior da mata. Que Sd. XXXX tentou colocar XXXX no camburão, porém XXXX deferiu um soco na face do Sd. XXXX, e agarrou com as duas mãos na arma do policial tentando retirá-la do coldre dizendo “vou matar esses porcos, ninguém vai prender nenhum filho
meu novamente”. Simultaneamente o menor XXXX, auxiliado da menor XXXX e de XXXX e vieram para cima do Sd. XXXX, alguns tacando pedra e outros utilizando de pedaços de madeira, que esse policial em luta corporal com XXXX para impedir que a mesma conseguisse retirar sua arma veio a sofrer vários golpes que resultaram lesão na face (boca e nariz), cabeça, costas e demais partes do corpo que foram atingidas, que foi preciso deferir golpes contra a face de XXXX para que a mesma parasse de tentar retirar a arma do policial e utilizasse das mãos para proteger o rosto. Que simultaneamente a isso, XXXX com auxílio de XXXX entrou em luta
corporal com o Cb. XXXX, tentando também tomar sua arma, que esse policial, utilizando do (PR90) (bastão) desvincilhou-se o máximo possível, no entanto XXXX se armou com um pedaço de madeira, e conseguiu atingir a cabeça do Cb. XXXX, que ficou atordoado, sendo que XXXX conseguiu aproveitar esse momento e tomou o bastão (PR90) do policial, que o Cb. XXXX utilizou do espargidor G. Pim Max (Spray de Pimenta) ingrediente ativo capsaicina natural (oc), direcionando contra aquele que o agredia e com dificuldade contra aqueles que estavam agredindo o Sd. XXXX, fato que motivou todos a partirem em sua direção, ficando somente
XXXX em luta com Sd. XXXX. Diante da desvantagem da equipe e das lesões sofridas temendo pela vida dos policiais vendo que os meios utilizados até o momento não estavam sendo eficazes e diante do risco eminente a vida dos policiais, sacou sua arma e efetuou 3 (três) disparos ordenando aos agressores que se afastassem. Nesse momento o Sd. XXXX conseguiu se soltar de XXXX, e fazendo uso do espargidor G Pim Max (spray de pimenta) ingrediente ativo capsaicina natural (oc), simultaneamente aos disparos realizados pelo Cb. XXXX mesmo diante de várias pedradas (inclusive de estilingue) conseguiu pedir apoio pelo rádio da viatura, que as
agressões continuaram constantes, sendo que ao perceberem que os disparos efetuados não haviam acertado em ninguém, os agressores continuaram a vir para cima dos dois policiais, que já estavam bem debilitados. Momento que temendo pela própria vida e pela vida do parceiro, o Sd. XXXX, realizou três disparos em direção ao solo e ordenou para que os agressores se afastassem, sendo que XXXX continuou indo em direção ao Cb. XXXX munido do bastão (PR90)
e de um pedaço de madeira, sendo que o Cb. XXXX a todo momento verbalizava para que o mesmo se afastasse, diante do risco efetuou 02 (dois) disparos em direção as pernas de XXXX, porém devido a gravidade de sua lesão já estava bem atordoado e errou os disparos, e que XXXX continuou em direção ao mesmo dizendo hoje vou terminar, vou te matar. Que Sd. XXXX  vendo o risco eminente que se encontrava bem como o risco que XXXX oferecia a seu parceiro,
verbalizou (gritou) para que XXXX se afastasse, e o advertiu que se continuasse vindo contra a equipe seria baleado, que o mesmo desobedeceu tal comando, e investiu contra a equipe mais direcionado ao Cb. XXXX, momento que Sd. XXXX efetuou um disparo no joelho do agressor, o que foi suficiente para derrubá-lo, estando os dois policiais bem debilitados procuraram se ajudar para sair daquele local, tentando num primeiro momento chegar na viatura porém os demais agressores voltaram a apedrejar a equipe e a viatura, tendo os policiais se afastado para se proteger, que XXXX investiu novamente contra o Sd. XXXX tentando impedir os policiais de sair do local, sendo que ao iniciar uma nova luta contra os policiais ela foi algemada em um dos braços, e empurrada para fora da rua do “barração” onde diante da resistência e agressividade da mesma, e da necessidade de atendimento médico da equipe devido a debilidade que se encontravam os policiais, não sobrou outra alternativa a não ser algemar a outra pulseira da algema numa grade residencial. Que no local onde estava a viatura os demais agressores continuaram a danificar a viatura, que XXXX xingava, desacatava e ameaçava os policiais “seus arrombado filho da puta acertou meu tio vão morrer seus merda do caralho”. Momento esse que a equipe conseguiu sair do local e ir até o Hospital que fica próximo, onde os dois policiais foram atendidos e conseguiram acionar com maior precisão o apoio. Que XXXX buscou um objeto e arrebentou a algema utilizada em XXXX. Que os policiais foram impedidos com pedradas inclusive de estilingue até mesmo de socorrer o autor que estava ferido, tendo que aguardar a
chegada do apoio policial para retornar ao local, que eram arremessadas pedras até mesmo de estilingue que segundo XXXX foi usado por seu irmão XXXX (porém esse não foi localizado nem visto pela equipe) porém muitas pedras foram lançadas do interior do mato, com a chegada do apoio foi possível retornar ao local abordar e qualificar os agressores, realizar suas prisões e possibilitar que a equipe médica atendesse o ferido, sendo recuperada a algema danificada, apreendido o estilingue que estava próximo a um tanque de lavar roupas, e uma faca que estava quebrada caída no local onde ocorreu a primeira luta do Sd. XXXX e XXXX. Que uma das pancadas que atingiu a cabeça do Cb. XXXX ocasionou um corte profundo sendo possível visualizar o osso e recebeu 8 pontos, também ficou lesionado no braço, que o Sd. XXXX ficou com corte na boca, recebeu uma pancada forte na cabeça com hematoma sem corte e muita dor nas costas onde recebeu diversos golpes. Que as armas dos dois policiais Cb. XXXX e Sd. XXXX foram recolhidas no almoxarifado do 10° BPM onde se encontram a disposição da justiça. Que como apoio compareceu no local o comandante da 2° Cia PM, o Comandante do Destacamento PM e Sargenteante da Cia, a equipe do CPU, equipe RPA Jandaia do Sul, RPA Bom Sucesso e Rotam de Apucarana. Que foi acionado o conselho tutelar de Kaloré para acompanhamento e encaminhamento dos menores, e acionado o SAMU de Jandaia para
transferir do hospital de Kaloré até o Hospital da Providência de Apucarana. Que os apreendidos e os presos foram encaminhados para Delegacia de Polícia Civil de Jandaia do Sul, com exceção do Hospitalizado que se encontra sob escolta policial. Que XXXX e XXXX receberam voz de prisão por tentativa de homicídio praticado contra os policiais, aliciamento de menores para Pratica de crimes, e todos por Lesão Corporal, Dano ao Patrimônio Público, Desobediência, Resistência, Desacato, Ameaça, Arrebatamento de Preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA