25/09/2021

PEDÁGIO - Guto Silva disse que e as cancelas serão abertas no Paraná

O secretário chefe da Casa Civil do Paraná, Guto Silva, cumpriu agenda no Vale do Ivaí e também em Apucarana. E durante entrevista ao Jornal Tribuna do Norte, disse que, com os atuais contratos de concessão de rodovias, encerrados, em 28 de novembro, o governo garante que as cancelas serão abertas e assim permanecerão até a definição da nova concessão. Para manter as estradas em ordem durante o período, o governo vai antecipar licitações. "É o fim de uma história triste do Paraná, fim de um contrato que puniu os paranaenses, um contrato caro, sem obras. O governador deixou muito claro que após 25 anos, não iria dar continuidade desse contrato. O governador sempre disse que o Paraná não fica um dia, um minuto a mais com esse contrato, então, no dia 28 de novembro as cancelas serão abertas. Nossa grande preocupação é de quando se dará o leilão. Pela nossa experiência, a nossa expectativa é que o pedágio fique um ano com as cancelas abertas", disse Guto Silva, ao falar com a jornalista Silvia Vilarinho. Ainda de acordo com o chefe da Casa Civil, a grande preocupação do Governo é garantir, nesse período, segurança e qualidade para os usuários das rodovias paranaenses. "Dezembro, janeiro e fevereiro tem férias, o movimento aumenta nas rodovias, tem o período de safra, a chuva que deteriora o pavimento. Fizemos uma reflexão importante e antecipamos licitações para que nesse período, mesmo sem pedágio, tenhamos condições de um tráfego confortável. Esse serviço vai nos custar bastante recursos, dinheiro, mas estamos focados em buscar alternativas junto ao Governo Federal para que o Paraná não seja punido nesse período. O governo ainda vai contar com os postos policiais rodoviários para ir aos postos de cancela e proteger esse patrimônio", explica. De acordo com Guto Silva, o Governo ainda vai cobrar na Justiça as obras que não foram realizadas pelas concessionárias que ainda administram o pedágio, como por exemplo a duplicação de Apucarana a Ponta Grossa, o contorno de Califórnia, além dos contornos de Jandaia do Sul e Arapongas, que tiveram as obras iniciadas. "Com esse novo modelo de pedágio estamos pensando no futuro, mas não podemos esquecer o passado. O Estado vai entrar na Justiça para reaver o prejuízo que tivemos por décadas, com esse contrato malfadado que tivemos. O Estado vai a Justiça para reaver esse direito do Estado e das pessoas", destaca.

Um comentário:

  1. Deveriam era arrancar essas ladroagem definitivamente jma vergonha os vaoores cobrados nesses pedagios

    ResponderExcluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA