10/08/2020

COVID - 100 mil mortes pela Covid... verdade ou mentira?

          BERIMBALADAS - No domingo, dia 09 de agosto, de 2020, algumas emissoras de TV, reservaram boa parte de sua programação para divulgar essa informação. 100 mil mortos. Usaram  fundo fúnebre, imagens de IML, covas e sepultamentos, enfim, creditado ao Coronavírus exatamente as mais de 100 mil mortes (101.049 mortes). LEVANTAMENTO -De acordo com levantamento diário feito pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 3.035.422 casos confirmados da doença e 101.049 mortes registradas de pessoas infectadas. Os casos recuperados somavam 2.118.460. Nas últimas 24 horas, em 09 de agosto, o ministério registrava 23.010 novos casos e 572 mortes. O estado de São Paulo tem o maior número de casos acumulados desde o início da pandemia, com 627.126 casos e 25.114 mortes. Em seguida estão os estados da Bahia (193.029 casos e 3.953 óbitos), Ceará (188.542 casos e 7.954 óbitos) e o Rio de Janeiro (178.850 casos e 14.080 óbitos). De acordo com o Ministério da Saúde, 3.566 casos estão em investigação.  O QUE HÁ DE VERDADE - O fato é que  muitas mortes não poderiam ser consideradas como Covid-19, pois, segundo informações, todos os pacientes, que estavam em fase terminal do câncer, por exemplo, já desenganados,  e que morreram nos Hospitais, infectados sim,  dentro das próprias unidades de saúde, foram colocados nesta conta.  Recentemente divulgamos uma morte em Ariranha do Ivaí, onde a Secretaria de Saúde do Paraná, informou como sendo a primeira vítima do Covid na cidade. Nas redes sociais, a própria família chamou a notícia de mentirosa, e com razão. Assim são muitos os casos. "O correto seria dizer que mais de 100 mil pessoas, que morreram, estavam com a Covid, mas não que morreram por causa da doença", comentou um médico, ao analisar os números. Em Apucarana, recentemente, um apresentador de Rádio, o Sebastião Rodrigues, âncora da Rádio Nova Am, disse que, antes da pandemia, se divulgava de 10 a 15 mortes por dia, mas neste período crítico da doença, as notas de falecimento caíram para uma média de 5, e praticamente todas sendo colocadas na conta do Coronavírus, por isso, são dados importantes para serem refletidos. O coronavírus é uma doença perigosa, por não existir o devido tratamento, precisa de cuidados e há casos  preocupantes sim, como a morte de jovens, exemplo de um médico de 32 anos, a princípio sem comorbidades, que faleceu em Ivaiporã (Dr. Lucas), mas o que se combate é o terrorismo com informações que querem manipular e não orientar. PROVEITO POLÍTICO - O pior é que muitos prefeitos e até governadores,  tem usado estes números para difundir uma calamidade pública  que ainda não ocorreu. Estão fechando empresas, sem nenhum critério, falindo comércios e adotando outras medidas, apenas para conquistar aqueles que vivem aterrorizados ou buscar popularidade  para pousar de: "prefeito preocupado com a saúde do povo", mais na prática, não estão preocupados com a saúde de ninguém.  Querem que os comerciantes fechem o comércio, anunciam milhões em recursos recebidos para a Covid, mas, por outro lado, estão cobrando IPTU, Alvará de Funcionamento e outros impostos, como se a pandemia não existisse. O mínimo que deveriam fazer, é rever a cobrança de impostos,  já que o funcionamento do comércio está sendo prejudicado por eles mesmos. Prefeitos estes que estão com hospitais vazios, por isso, menos gastos; pararam os ônibus do transporte escolar e muitos outros serviços, economia na certa;  e divulgam uma conta que não fecha.  Muitos prefeitos fecharam as cidades, antes mesmo da doença aparecer, situações absurdas que serão cobradas num futuro próximo.  Infelizmente, até o fim da Pandemia será assim: Muitas verdades e muitas mentiras serão ditas, e haverá pessoas para acreditar nas duas. O resultado é uma confusão de pensamentos  e opiniões, e ninguém entendendo  nada, pois a maioria está sendo induzida ao erro... 

3 comentários:

  1. Se não estamos na calamidade públicas, estamos próximos. A falta de leitos de UTI preocupa a todos. Doentes e sadios.
    Não precisa estender o assunto, para entender a preocupação.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela reportagem!
    Bem clara e explicativa, gostei muito Berimbau...
    Nunca devemos nos descuidar de uma doença pandêmica e séria, mas criar uma nova doença psicológica por terrorismo para com as pessoas, não é o caminho!
    Análise dos dados reais é necessário para formularmos um planejamento e ações adequadas, sempre!

    ResponderExcluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA