07/10/2020

Fungos e bactérias encontrados em sementes misteriosas que chegam da Ásia

      O Ministério da Agricultura fez nesta terça-feira (6 de outubro, de 2020) um balanço das amostras de sementes que brasileiros receberam com produtos que compraram na internet. Em alguns casos, como em Mauá da Serra, no Paraná, uma família recebeu as sementes sem estar acompanhada de produtos comprado - clique aqui - para rever.  Segundo o Jornal Nacional, a análise feita pelo ministério, identificou sementes de plantas ornamentais e frutíferas. Tem suculentas, rosas, orquídeas, limão, cerejeira e duas espécies ainda não identificadas. Todas vieram de países asiáticos, a maioria da China, sem que o destinatário tenha pedido. Os cientistas também descobriram a presença de ácaros, fungos, bactérias e quatro tipos de ervas daninhas, que não existem no Brasil. “O risco é desconhecido, e quando a gente trabalha com risco desconhecido, o alerta é máximo. Então é isso que a gente pede para a população. Não abra esse pacote, não plante esse pacote”, destaca José Luís Vargas, diretor do Departamento de Serviços Técnicos do MAPA. Todas as sementes estão sendo analisadas pelo laboratório da Defesa Agropecuária de Goiânia, que é referência neste tipo de análise; 258 pacotinhos já foram recolhidos em 24 estados, além do Distrito Federal. E o trabalho não tem data para terminar. Todos estão sendo catalogados e classificados. A intenção é saber quais os riscos para a saúde e para o agronegócio “Pode ser um risco de intoxicação. Existem sementes tóxicas. Como a gente não tem origem, não tem controle. É preciso ter precaução”, avalia José Guilherme Leal, secretário de Defesa Agropecuária do MAPA. A Maria José recebeu sementes, achou estranho e preferiu não plantar. Há registros de sementes não encomendadas também nos Estados Unidos, Chile, Canadá e na Europa. O Ministério da Agricultura trabalha em parceria com autoridades fitossanitárias de outros países. “Não pode ser curioso. Deixa toda a curiosidade para quem está fiscalizando, para quem está investigando o objetivo dessas sementes estarem chegando nas residências”, diz Sérgio Paulo Coelho, diretor de Defesa Agropecuária da Agrodefesa de Goiás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA