16/10/2021

FAXINAL - Alimentos vencidos na "Casa Lar" vão parar no lixo

                     BERIMBALADAS                   
Em sua rede social, o prefeito "Gallo", lamentou que a direção da instituição, tenha cometido a falha, promovendo o desperdício de alimentos em uma época tão difícil 
    Em Faxinal, o descarte de alimentos vencidos, os quais foram jogados no Aterro Sanitário, gerou polêmica e muitas críticas nas redes sociais. Segundo informações, os produtos, dispensados no lixo, são oriundos na Casa Lar, uma instituição do município, que conta com ajuda do poder público e também da comunidade, para se manter. Em sua rede social, o prefeito Ylson Álvaro Cantagallo, publicou a seguinte nota:
"Não sei se indignação, revolta ou tristeza, que pode definir meu sentimento,  quando recebi estas fotos, vídeos e relatório da Vigilância Sanitária. Apontando que alimentos foram jogados no Aterro. Foram, aproximadamente, 1.200 kg, ou cerca de 80 cestas básicas, literalmente, jogados no lixo. E estes alimentos vencidos, foram recolhidos na Casa Lar de Faxinal! Não sou de fazer críticas, mas uma situação desta é revoltante!! Tanta gente sem comida e sofrendo com a alta dos preços dos alimentos e, na outra ponta, pacote de comida indo para o lixo. A instituição atende hoje 17 crianças e conta com 16 funcionários e tem como presidente o senhor Moacir Pomini. A Casa Lar é custeada por meio de repasses mensais de Faxinal, do Estado, da União e de outros municípios. Por isso,  na condição de prefeito, não poderia ser omisso nesta situação. E como sempre sou direto e verdadeiro, vou dar nome aos bois, Moacir Pomini, que sempre critica a atual administração,  me explica: o senhor queria ser prefeito de Faxinal e não consegue administrar uma despensa?", diz a nota.  O presidente, que não conseguimos contato com ele antes da publicação, após a divulgação dos fatos, emitiu uma nota admitindo que houve falhas, mas tentando justificar o fato, dizendo que lamenta o  
ocorrido, mas, que no  dia a dia, algumas situações, que é de responsabilidade dos funcionários, que recebem orientações para exercerem a função, acabam passando despercebidas. Para ver a nota na íntegra, clique no link abaixo
NOTA:  "Eu, Moacir Pomini, presidente do Abrigo Institucional Vânia Teresinha Knoll Pomini, venho por meio deste esclarecer que recebemos muitas doações, e muitas delas próxima a data de vencimento, sendo assim concordo que é revoltante, triste e lamentável descartar alimentos, ou qualquer outro tipo de doações.
As pessoas doam com boa vontade todos esses produtos e que na maioria das vezes podem ser consumidos. Mas, precisamos ressaltar que somos uma instituição que é inscrita nos conselhos municipais de assistência social, conselho do direito da criança e do adolescente, não podemos e nem fazemos nada sem seguir orientações técnicas e a legislação que nos rege. Na casa lar temos buscado acompanhamento com nutricionista, custeado exclusivamente pela instituição,  e capacitação nesta área.  Lamentamos o ocorrido, lamentamos profundamente o ocorrido. Mas, no nosso dia a dia, algumas situações que é de responsabilidade dos funcionários, que recebem orientações para exercerem a função, acabam passando despercebidas, foi isso que aconteceu. A funcionária responsável pela organização e manuseio dos alimentos, não conseguiu desempenhar sua função. Dias atrás, recebemos uma doação em grande quantidade, e não foi atentado quanto à data de validade dos produtos doados. Como eram produtos não perecíveis, aceitamos, mesmo próximo do vencimento, só que como era grande a quantidade, não foi possível consumir em tempo. Logo, ressalta-se que, os produtos vencidos não foram utilizados para o consumo. Também, como eram produtos próximo ao vencimento, não poderíamos repassar pra outras entidades ou Pessoas físicas.  A vigilância sanitária foi solicitada foi acionada pela própria instituição, para renovação da licença sanitária. Foi nessa vistoria que foi observado que haviam alimentos vencidos. Ainda em tempo, ressaltamos que o abrigo tem licença sanitária,  licença do corpo de bombeiros, entre outras documentações necessárias que autorizam o seu funcionamento. Não estou tirando minha responsabilidade nisso.  Só estou relatando nossa postura. Além disso, é necessário destacar que a instituição, ainda não recebeu a notificação oficial da vigilância sanitária, mesmo  assim, já solicitou aos servidores da vigilância as orientações para providenciar as mudanças que se fizerem necessárias, como adequações estruturais e documentais.  Estou a disposição para eventuais esclarecimentos", assinado Moacir Pomini.

2 comentários:

  1. São 17 funcionários pra atender apenas 17 crianças??? Quanta incompetencia!!!

    ResponderExcluir
  2. Dezessete crianças e dezesseis funcionários? Nossa, um funcionário para casa criança.

    ResponderExcluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA