Páginas





 


17/08/2022

ELEIÇÕES - Filipe Barros conseguiu na justiça que Gleisi retire post

   O Tribunal Eleitoral do Paraná (TRE) deu sentença favorável à representação encaminhada pelo candidato à reeleição a deputado federal Filipe Barros (PL/PR) contra a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, que também concorre a reeleição, em virtude de publicação de conteúdo supostamente inverídico no seu perfil oficial na rede social Instagran. A representação no. 0602068-49.2022.6.16.0000 foi impetrada por Filipe Barros na última segunda-feira, dia 15, com decisão liminar divulgada ontem, dia 16, primeiro dia do calendário oficial da campanha eleitoral. A decisão é do juiz auxiliar Roberto Aurichio Junior, que deu o prazo de 24 (vinte e quatro) horas para que a presidente nacional do PT proceda a imediata suspensão e exclusão da publicação impugnada nos autos do processo. A publicação também está proibida de ser reexibida ou compartilhada em qualquer meio de comunicação enquanto o processo ainda cumpre os ritos de prazos de contestação e julgamento final. Porém, hoje, a publicação já foi apagada da rede social de Gleise Hoffmann sem contestação ou recurso à decisão da Justiça. Fake News - O vídeo inverídico postado por Gleisi, que é candidata à deputada federal pelo PT, mostra um cidadão contando seis notas de R100, agradecendo ao “papai Lula” pelo auxílio, e dizendo que se o “papai Lula” subir mais pontos na pesquisa aumentará este valor. Na degravação do vídeo o cidadão que aparece nas imagens diz que se “Papai Lula subir mais uns cinco ponto o auxílio vai pra mil”. “Na nossa visão, que foi acatada pelo TRE, isso infringe as normas eleitorais, porque passa o sentimento de que o auxílio refere-se ao descondenado e ainda processado Lula e que foi possível graças a ele, descontextualizando a situação e criando uma falsa impressão no eleitorado, ou seja, uma verdadeira Fake News. Gelisi Hoffmann tem que ter responsabilidade, durante a campanha eleitoral daquilo que dolosamente publica e comenta já que é uma candidata e, além disso, é presidente nacional do Partido dos Trabalhadores”, disse Filipe Barros. O auxílio emergencial é criação do Governo Federal sob o comando do Presidente Bolsonaro e não pode ser atribuído, sob qualquer forma de manifestação, ao candidato Luiz Inácio Lula da Silva também do PT. O auxílio foi objeto de Emenda Constitucional (no. 123) devidamente aprovada pelo Congresso Nacional e implementada pelo Governo Federal de julho de 2022.

Um comentário:

  1. a justiça sempre passando a mão na cabeça de bandidos como essa integrante da quadrilha do PT, a nossa constituição brasileira é um lixo

    ResponderExcluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

CARREGANDO MAIS POSTAGENS...