Páginas


25/11/2022

ALERTA - Apucarana alerta para o início do período crítico da dengue

Com a proximidade do verão, a Autarquia Municipal de Saúde (AMS) da Prefeitura de Apucarana tem reforçado junto à população a importância da vigilância quanto ao combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Estratégias de intensificação de ações visando a eliminação de criadouros e também a promoção de mais atividades de conscientização para um maior engajamento da população foram definidas nesta sexta-feira (25/11) pelo prefeito Júnior da Femac e secretário Municipal da Saúde, Emídio Bachiega. “Apucarana tem realizado um trabalho de referência na área de combate a endemias. Nossos agentes promovem vistorias prediais, levam informações aos moradores, realizam ações educativas nas escolas, e com isso temos a dengue sob controle. Mas com o Aedes Aegypti não podemos descuidar nem um segundo”, assinala o prefeito Júnior da Femac. Ele acentua que o verão historicamente favorece a proliferação do inseto por registrar chuvas e altas temperaturas. “Trata-se de uma estação climática conhecida com o período mais crítico em todo o ciclo da dengue, que vai de agosto a julho de cada ano”, informa o prefeito. Ele pondera que desde o início do Ciclo 2022/2023, Apucarana tem apenas seis casos confirmados e nenhum óbito. “Precisamos, contudo, lembrar que estamos próximos a cidades onde o número de casos está em crescimento, como Londrina (168 casos), e Maringá (142 casos)”, alerta Júnior da Femac, pedindo que as pessoas mantenham o quintal livre de possíveis criadouros. “Basta evitarmos água parada. Um ato simples, mas de suma importância para a preservação da saúde e da vida, pois a dengue mata. O poder público, através da Autarquia de Saúde, tem feito sua parte e com o engajamento de toda a sociedade, certamente vamos manter os índices locais dentro deste cenário atual, que é favorável”, disse o prefeito de Apucarana. De acordo com Júnior, Apucarana desenvolve ainda ações ambientais que também refletem de forma positiva no combate ao Aedes Aegypti. “Além das vistorias e de todo o trabalho diário dos agentes de combate a endemias, mantemos programas gratuitos de recolhimento de pneus, de móveis usados, de materiais recicláveis, de resíduos da indústria têxtil que podem ser acessados por todo cidadão (ver box)”, comunica, frisando que ao não serem lançados de forma ilegal no meio ambiente, “os materiais coletados deixam de ser potenciais criadouros do mosquito”, enaltece Júnior da Femac. Outro fator importante no combate ao vetor transmissor da doença, acrescenta o secretário Municipal da Saúde, Emídio Bachiega, é a permissão das vistorias. “Muitas vezes, por temerem pela segurança, os moradores colocam barreiras no acesso de nossos agentes às residências. Na dúvida, o morador pode entrar em contato com a Saúde Municipal, pelo 3422-5888, para confirmação da identidade. Nossos servidores atuam com uniforme na cor verde e estão devidamente identificados com crachás”, diz Bachiega.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

CARREGANDO MAIS POSTAGENS...