sexta-feira, 10 de maio de 2019

JULGAMENTO - Autor de homicídio em Borrazópolis é condenado

                         CONDENADO                        
Doze anos em regime fechado, foi a pena de Enivaldo, o "Polaquinho", réu confesso da morte de Vagner Luizetto, o "Mirinho",  ocorrida eM 2017 

              Nesta sexta-feira, dia 10 de maio, de 2019, às 09:horas, da manhã, começou o julgamento, na Comarca de Faxinal, do acusado de um crime,  que chocou a cidade de Borrazópolis. O autor é Enivaldo da Silva, o "Polaquinho", de 37 anos, e a vítima Vagner Luizetto, na época com 30 anos. O advogado de defesa, foi  o Dr. Edineudes Batista, de Rosário do Ivaí, que teve uma participação brilhante com sua experiência; já na acusação, não menos competente, atuou  o promotor Jose Tiago Chesine Gois, e presidiu  o júri, o juiz Dr. Norton Thomé Zardo. Apos as alegações da defesa;  da acusação; o depoimento do autor e o relato feito pelas testemunhas, soldado Filetti e o tapeceiro Silvio Rozaboni, o "Xiru", que foi uma das testemunhas do crime,   por volta das 15 horas, foi proferida a sentença, com uma pena de 12 anos, em regime fechado. Como se trata de réu primário e Enivaldo já está preso há quase dois anos, ele deve ficar, aproximadamente, mais dois anos na cadeia para receber o benefício do regime semiaberto.   "Houve a confissão do réu, inclusive numa entrevista exclusiva feita pelo repórter Ronaldo Senes, o Berimbau, a qual foi citada aqui no tribunal do júri, por isso, mesmo como advogado de defesa, pedimos sua condenação, mas que ela fosse justa", disse o advogado Dr. Edineudes, em entrevista a Rádio Nova Era (Ouça no link de vídeo).   SOBRE O CRIME - Conforme publicamos, o assassinato aconteceu no dia 07 de agosto, de 2017, na Avenida Brasil, mais precisamente no "Calçadão", esquina com a Rua Mato Grosso, próximo a Tapeçaria do Xiru" e o "Bar do Julinho", os quais foram arrolados para serem ouvidos no dia do julgamento. Vagner, conhecido como "Mirinho", estava ingerido bebida alcoólica com o acusado, quando houve o desentendimento. O agressor saiu e voltou, pouco depois, com uma faca e aplicou um golpe no tórax da vítima, e, em seguida, subiu nas costas do rapaz e o feriu com mais duas facadas - clique aqui - para rever matéria do dia do crime. Também publicamos uma entrevista com o assassino. Nela, Enivaldo diz que está arrependido, mas justifica o seu crime, afirmando que foi agredido no rosto. Ele também contou destalhes do assassinato e disse que chegou de surpresa, evitando a defesa de Vagner - clique aqui - para rever a entrevista.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA