segunda-feira, 8 de julho de 2019

ARIRANHA DO IVAÍ - POLÊMICA

Após denúncia, Ministério Público, de Ivaiporã, visitou obra que, supostamente, estava sendo construída com ajuda de servidores municipais, quando há uma empresa licitada e já recebendo pelo serviços contratados 
                             DENÚNCIA                            
          Em Ariranha do Ivaí, o comentário da cidade, neste início do mês julho, de 2019, foi uma diligência feita pela Promotoria de Justiça de Ivaiporã, representada pelo Dr. Cleverson Tozatti. Segundo informações, houve denúncia que uma obra de revitalização da Rua principal, com a construção de calçadas e outros melhorias, licitada e tendo um empresa vencedora, portanto a referida empresa que venceu a licitação é que deveria executar a obra em sua totalidade, mas funcionários da prefeitura foram vistos trabalhando no local. Segundo o vereador Geibison Silva de Matos, estava evidente que algo errado poderia estar ocorrendo: "Imaginem vocês que a empresa licitada recebe os recursos da prefeitura para construir tal obra, mas quem está construindo, são funcionários da prefeitura, sendo assim, é como se os contribuintes estivessem pagando duas vezes, para edificar parte da mesma benfeitoria", disse o vereador. No dia da visita do promotor, além de Geibison, o vereador Flavio Prachun, também acompanhou. Há informações que a promotoria chegou a constatar funcionários da prefeitura, trabalhando no local, o que pode confirmar a situação irregular. Por telefone, falamos como o Dr. Cleverson, que afirmou ter estado em Ariranha do Ivaí. "Ainda não é possível afirmar se está ocorrendo irregularidades ou não, porque é uma situação embrionária. Fomos apurar um possível uso de máquina pública em obra licitada a terceiros. Havia funcionários da prefeitura, mas ainda precisamos ouvir outras pessoas, analisar contrato e a situação está em análise. O prefeito, em seu argumento informal, alegou que o trecho, em que os servidores estavam, não pertence a parte licitada, por isso, não podemos fazer um pré-julgamento. Vamos tomas as devidas providências e em breve teremos uma posição mais concreta do que realmente estava ocorrendo", disse o Dr. Cleverson. Há denúncias de irregularidades também na reforma de um Posto de Saúde e de um servidor, que desenvolvia a atividade de Engenheiro, mas não cumpria a carga horária, conforme consta em seu contrato. REPOSTA - A prefeitura nega as irregularidades e diz que ao final, ficará comprovado que os funcionários da prefeitura não estavam realizando a parte da obra que caberia a empresa vencedora das licitações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA