09/09/2020

FAXINAL - Programa do Senar encoraja família a fazer gestão da propriedade

A partir do Programa Empreendedor Rural, família de César da Conceição reestruturou sítio e hoje cria frangos, suínos e carneiros
Caçula de cinco irmãos, Cesar da Conceição trabalhava como mecânico no município de Faxinal, região Norte do Paraná. Seu pai era proprietário de um pequeno sítio na zona rural, mas a família se encontrava em dificuldades para tocar os negócios, pois nenhum dos filhos tinha experiência ou conhecimento sobre o trabalho no campo. Cesar, que sempre gostou de passar um tempo no sítio em momentos de descanso, viu a propriedade em estado de abandono. Então, ele e a esposa Lucicleia, que trabalhava como vendedora, decidiram se mudar para o sítio com os dois filhos. “Eu queria um futuro melhor na área rural, pela tranquilidade e segurança, principalmente pelos meus filhos. Na cidade estava difícil e quando vi o sítio abandonado, unimos a vontade e a oportunidade”, relata Cesar que, ao lado da esposa, deixou o antigo emprego na cidade e decidiu dedicar tempo integral à propriedade. O casal foi aprendendo na prática do dia a dia, até que o Programa Empreendedor Rural (PER) cruzou o caminho dos dois. Cesar e Lucicleia foram até o Sindicato Rural de Faxinal resolver algumas questões em relação à propriedade, e uma funcionária indicou o PER. “Como a gente não tinha experiência, aprendemos tudo com o PER. Planejamento, questão de gastos e despesas, identificar o que estava dando certo, o que precisava mudar. Por exemplo, plantávamos milho verde para a venda e paramos porque não estava compensando. A instrutora ajudou muito porque ela também tem experiência e vivência de quem tem propriedade rural. Então veio visitar e analisar nosso sítio”, destaca. A dedicação do casal surtiu efeito no pai de Cesar, até então proprietário do sítio, que decidiu passar a escritura ao filho. “Como fomos nos interessando cada vez mais, meu pai viu a nossa intenção de melhorar e investir. Ele já tinha alguns bens na cidade, então fez uma reunião com a família e dividiu as casas na cidade com os outros filhos e o sítio ficou comigo”, explica Cesar. Atualmente, a propriedade tem granjas de frangos e porcos caipira e criação de carneiros. O casal, que já possui uma clientela fixa no município, também investe em alguns diferenciais para a comercialização, como a venda do frango cortado em pedaços pronto para o preparo e produção de banha e linguiça de porco caseira. Há seis meses, deram início a uma estufa de tomates. “Ainda é algo pequeno, mas pretendemos dobrar o que tem rentabilidade melhor”, revela Lucicleia. O projeto do casal agora é transformar a propriedade em uma pequena empresa rural, investindo em infraestrutura e expandindo os negócios. “Nós não sabíamos como funcionava o sindicato, agora vamos nos associar para fazer mais cursos e nos profissionalizar”, conta Lucicleia. Sobre o PER, o casal só tem elogios. “O PER nos ajudou demais. O curso abre nossa mente e nossos olhos para enxergar a realidade. As novas amizades que o PER proporcionou também deu força. É uma troca de experiências, um ajudando o outro”, observa Cesar. “Ano que vem também vamos fazer o PER de novo, para juntar mais experiência”, acrescenta. (Por Coordenação de Comunicação Social - Sistema FAEP/SENAR-PR)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA