18/11/2020

IVAIPORÃ - Bombeiros que evitaram fuga são alvos de inquérito

                         DENÚNCIA                          
O ato de bravura dos soldados, que evitou  a liberdade forçada de dezenas de detentos, culminou em inquérito militar. Mas para a sociedade eles foram heróis e não criminosos 
           Assista reportagem da Rede Bandeirantes sobre o caso      
 Em Ivaiporã, o Blog do Berimbau e a Rádio Nova, assim toda a imprensa da região e até portais de notícia, como o G1, divulgaram matérias destacando o ato de bravura de Bombeiros, que estão lotados no Subgrupamento de Ivaiporã. Eles evitaram uma fuga em massa de dezenas de detentos da cadeia pública do município, que naquela data, em 21 de fevereiro, de 2020, estava com cerca de 180 presos, quando a capacidade do local, é de apenas 40. Quando as primeiras informações foram divulgadas, o que imaginávamos ou, as apostas, eram de que o comando local do Corpo de Bombeiros, ou, o comando Estadual, fosse propor uma medalha de honra ao mérito aos soldados, ou, no mínimo, uma nota de homenagem e reconhecimento. Inclusive, nas redes sociais, não faltaram elogios a estes policiais. Mas, com o passar do tempo, recebemos informações, que a repercussão do ato de bravura, para o Comando, parecia não ter sido a mesma, pois, por suposta ordem do comandante, Capitão Vitor Aparecido Mathias da Rocha, foi aberto um "inquérito policial militar", com formulário de apuração dos fatos, que poderia resultar em punição, ou quem sabe, até na exoneração destes militares. Um integrante do Corpo de Bombeiros do Paraná, de um outro subgrupamento, fez contato com a nossa reportagem. "Sei que vocês são fortes na comunicação ai neste região, por isso, precisam noticiar o que está acontecendo em Ivaiporã. Acreditamos que, de forma descancarada, estão perseguindo soldados, e isso tem revoltado a guarnição, não só de Ivaiporã, mas de outros município. Neste processo, foram refeitas algumas oitivas, e não queremos afirmar que é para direcionar o inquérito. Numa reportagem publicada pela Rede Bandeirantes, disseram que era apenas a fase inquisitorial, mas, na verdade, já terminou e um soldado, que participou da ocorrência, está tendo seu nome manchado, como se fosse um criminoso. Pior, o comando abriu três procedimentos disciplinares, como forma de desmerecer o ato praticado por eles.", disse o autor de denúncia, apontado que o resultado pode ser tendencioso. Ele pediu para preservar sua identidade temendo perseguições. Também denunciou, que somente no subgrupamento de Ivaiporã, militares estariam fazendo acompanhamento psicológico no Quartel, alguns com depressão e problemas já documentados.  Há informações, que na visão do comando, os Bombeiros deveriam ter cruzado os braços e deixado que os presos ganhassem a liberdade, fato que tem causado indignação.  Nossa reportagem fez contato telefônico com o Subgrupamento do Corpo de Bombeiros  de Ivaiporã. Informamos que gostaríamos de ouvir o comandante sobre o tema e sobre as acusações impostas. Nosso telefone foi anotado, com a promessa de que o Capitão 
Vitor Aparecido Mathias, seria avisado da nossa ligação, mas o retorno não ocorreu até a publicação desta nota. Uma matéria publicada pela Bandeirantes, recentemente, tratou do mesmo tema. Para a Rede de TV, o  comando do Corpo de Bombeiros usou o direito de resposta, negando  que haja qualquer tipo de perseguição e que, o procedimento foi instaurado por conta do fato de um dos  soldados ter utilizado sua arma particular, o que natural nesse tipo de situação. Ainda que o processo consistia em  fase meramente inquisitorial para apurar a notícia crime, mas que já houve o encaminhamento de suas conclusões para a Corregedoria do comando da Polícia Militar do Paraná, que fará  uma análise das medidas que sejam necessárias. A princípio, o comando tem deixado claro que o procedimento é normal e natural mestes casos.    VÍDEO - No link de vídeo, ouça a matéria completa que foi veiculada na Rede Bandeirantes, em tom de críticas ao Subgrupamento do Corpo de Bombeiros de Ivaiporã. FUGA - Sobre a fuga, ela aconteceu no dia 21 de fevereiro, de 2020.  Presos cavaram um túnel, com saída próximo ao Quartel do Corpo de Bombeiros, que fica anexo a Delegacia. Integrantes ouviram, por volta das 23:30 horas, barulho próximo ao muro da divisa com o presídio. Eles informaram a Polícia Civil sobre a possível fuga, que poderia estar em curso, sendo que, às 03 horas da madrugada, acordaram com indivíduos fugindo.   Por isso, foi realizado disparo de arma de fogo como advertência, fazendo com que os demais detentos, que já estavam  no túnel ou saindo,  retornassem e os da Rua foram contidos. Agentes do  Departamento Penitenciário, informaram que somente no Pavilhão, de onde o túnel tinha sua origem, havia 110 presos, por isso, a ação dos Bombeiros foi eficiente e impediu uma fuga em massa desta ala.  Clique Aqui e veja a matéria completa da fuga. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA