17/08/2021

BORRAZÓPOLIS- Confusão familiar termina em agressão e ameaça com arma de fogo

   Em Borrazópolis, no dia 16 de agosto, de 2021, às 18h20min, na Rua Rio de Janeiro, região do Vila Santa, um morador procurou a Polícia Militar, dizendo que um rapaz estava armado no referido endereço. Em patrulhamento, foi abordada uma mulher e seus familiares, os quais estavam todos exaltados e nervosos. Todos foram acalmados, momento em que a feminina passou a relatar, que seu convivente, que foi acusado no passado de envolvimento com a morte do conhecido Juruna,  encontrava-se armado e por motivos de briga conjugal, chegou transtornado procurando por ela e sua filha de 4 anos. Depois entrou na residência da sua irmã, quebrou a porta e ameaçou ela e seu irmão, apontado uma arma de fogo para todos que encontravam-se na casa e perguntado onde estava sua amásia e a filha. Como percebeu que, quem ele procurava, não estava no local, saiu do local. As ameças foram confirmadas por todos. Assim que o acusado saiu, foi até a casa da outra cunhada, e, muito agressivo, chegou quebrando a janela, chutou a porta, invadindo e danificando móveis, momento em que encontrou sua mulher com a criança no colo. Consta nos relatos, que ele empurrou a dona da casa para chegar até sua esposa gritando para que ela entregasse a criança. Ele ainda portava uma arma de fogo preta. No mesmo imóvel, estava também a irmã do invasor, a qual também foi ameaçada. Depois de muita coação, a filha foi entregue a irmã do ameaçador, os quais, saíram do local. A solicitante disse que o marido, a cunhada e a criança, entraram em um carro, que era dirigido por um desconhecido. Ao chegarem na casa deles, o esposo pediu um calçado para a irmã, saiu no mesmo carro e ordenou  que não entregasse a filha a ninguém. Os soldados foram até a Rua Piau, esquina com a Avenida Paraná, onde a tia estava com a menor. Ela e menina ficaram na responsabilidade do Conselho Tutelar e, em local seguro. Ao voltar a Vila Santa, a mãe da criança, que estava com um corte na cabeça, alegando que foi uma coronhada, foi levada para o Hospital. Buscas foram feitas em vários locais, mas o suspeito não foi encontrado para dar sua versão sobre os fatos. Há informações que ela nega todas as acusações.  Nossa reportagem tenta apurar nomes e outros detalhes, já que eles não foram divulgados pela Polícia Militar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA