18/08/2021

POLÊMICA - Saiba quem são os deputados que querem o Pedágio perto de Mauá

Cobra Repórter (PSD), Tercílio Turini (CDN), Hussein Bakri (PSD), Tiago Amaral (PSB) e Evandro Araújo solicitaram que a nova praça seja próxima de Mauá da Serra e não Londrina 
   Os deputados Cobra Repórter (PSD), Tercílio Turini (CDN), Hussein Bakri (PSD), Tiago Amaral (PSB) e Evandro Araújo (PSC) apresentaram, nesta terça-feira (17 de agosto) na Assembleia Legislativa do Paraná, um requerimento endereçado ao governador Carlos Massa Ratinho Junior e ao secretário da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, reforçando o acordo feito com o Governo para que a praça de pedágio prevista para a PR-445 seja instalada nas proximidades do município de Mauá da Serra. Isso assegura que a nova praça de pedágio não se estabeleça na área rural de Londrina. Alguns moradores do Vale do Ivaí, não gostaram da ideia e estão chamando o pedido de presente de grego para Mauá e região. Já os deputados destacam que a duplicação da PR-445 é primordial para a segurança dos paranaenses e o desenvolvimento socioeconômico da Região Metropolitana de Londrina e de todo Norte do Paraná e o Governo do Estado acertou ao priorizar os investimentos na PR-445, demonstrando o compromisso com o progresso, abrindo caminho para atração de empreendimentos, movimentando a economia, gerando empregos e, acima de tudo, preservando vidas. No entanto, o novo modelo de concessões de rodovias do Anel de Integração prevê uma nova praça na PR-445, o que já foi acordado com o Governo que será nas proximidades de Mauá da Serra e não no perímetro rural de Londrina. Atualmente, no deslocamento de Londrina a Curitiba o cidadão paga cinco tarifas. Até o Porto de Paranaguá e Litoral são seis tarifas. Com a nova praça, haverá mais uma cobrança. “Assim, pedimos ao Governo do Estado que estabeleça no plano de concessões de rodovias uma tarifa de manutenção na praça de pedágio prevista para a PR-445, nas proximidades do município de Mauá da Serra. Salientamos que é fundamental assegurar valor diferenciado, abaixo do anunciado recentemente, evitando-se dessa forma uma cobrança excessiva nas viagens. O ideal era não ter a nova praça na rodovia, mas se a sua instalação está inserida num planejamento mais amplo de integração rodoviária, que pelo menos seja definida a tarifa de manutenção no local”, defendem.

 

2 comentários:

  1. É só colocar sensor e cobrar por km rodado, a pessoa paga o que andou não precisa praça de pedágio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde. É a solução mais adequada pra essa situação..

      Excluir

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA