07/12/2021

APUCARANA - Cidade luta pelo fim violência contra a mulher

O prefeito Júnior e o vice-prefeito Paulo Vital participaram nesta segunda-feira (06/12) da Campanha Laço Branco. Realizada dentro do movimento nacional chamado “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, ambos empunharam um cartaz com os dizeres “Antes, quem batia em mulher era covarde. Agora, é criminoso!”, contribuindo com o objetivo do momento, que visa sensibilizar, envolver e mobilizar os homens a lutar pela causa. “Temos que somar forças pela promoção da equidade de gênero e superação das desigualdades. Violência, não”, pontuou o prefeito Júnior da Femac, salientando que o município conta com uma macrorrede de proteção às mulheres. Em Apucarana, os “16 Dias de Ativismo” iniciaram em 20 de novembro. “A Campanha do Laço Branco é uma das ações que realizamos anualmente dentro desta importante mobilização. Um momento carregado de simbolismo, que conta com a participação ativa do homem pelo fim da violência contra a mulher”, destaca Denise Canesin, secretária Municipal da Mulher e Assuntos da Família. O Laço Branco, explica a secretária, surgiu em contraposição a um trágico episódio que aconteceu no dia 06 de dezembro de 1989, quando um aluno de 25 anos da Escola Politécnica de Montreal, Canadá, invadiu uma sala de aula e ordenou que todos os homens saíssem. Às mulheres, ele ordenou que ficassem e, ao gritar “vocês são feministas”, matou a queima roupa quatorze mulheres. Logo após o aluno cometeu suicídio. “Este homem deixou uma carta, na qual tinha escrito “não suportar a ideia de mulheres frequentar o curso de engenharia”, um curso tradicionalmente dirigido para o público masculino. Em razão disso, o dia 06 de dezembro é reconhecido no Brasil como o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, contextualiza Denise Canesin, secretária da Mulher e Assuntos da Família de Apucarana. Ela frisa que Apucarana conta com uma rede de proteção. “A violência contra a mulher precisa ser diariamente combatida, denunciada. Se você presenciou algum tipo de violência contra a mulher, denuncie, faça sua parte! A Rede de Atendimento à Mulher não para”, finaliza a secretária. Os canais de denúncia são os telefones 180 ou junto ao Centro de Atendimento à Mulher (CAM), pelo 0800 645 4479 ou 3422-4479.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA