23/12/2021

ARAPONGAS - Caso do motorista atropelou e matou criança continua repercutindo

  O Portal G1, numa reportagem especial sobre o caso de Arapongas, informou que testemunhas disseram em depoimento à Polícia Civil que o homem suspeito de atropelar e matar uma menina de 12 anos, em Arapongas, na região norte do Paraná, tinha bebido antes de dirigir. O suspeito foi identificado pela polícia e deve responder em liberdade. Beatriz Mendonça e o pai dela foram atropelados no dia 18 de dezembro, quando voltavam de uma confraternização. Socorristas tentaram reanimar a menina por uma hora, mas não conseguiram. Já o pai foi socorrido e recebeu alta. A delegada Thais Orlandini Pereira, que investiga o caso, disse que a Polícia Civil pediu a prisão do suspeito de ter atropelado Beatriz. O pedido foi acatado pelo Ministério Público do Paraná, mas rejeitado pela Justiça. "As testemunhas confirmaram que o investigado estava embriagado, que ele sabia que ele tinha atropelado alguém e que queria fugir, que estava com medo e queria sair dali", afirmou. Ainda segundo a delegada, a polícia concluiu que o motorista estava na contramão quando atropelou a criança. As investigações também identificaram que não há sinal de frenagem na pista. A rua onde o atropelamento aconteceu não tem calçada. Com isso, a polícia acredita que pai e filha estavam andando pela via. O veículo que se envolveu no atropelamento foi encontrado pela polícia após uma denúncia, na segunda-feira (20), e passou por perícia. A Polícia Civil informou ainda que o suspeito já tem passagem por embriaguez ao volante. À época, o homem chegou a ser preso.  Clique aqui para visualizar no G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA