19/05/2020

DENGUE - Treze cidades do Vale do Ivaí estão com epidemia

Com epidemia estão: Godoy Moreira, Jardim Alegre, Ivaiporã, São João do Ivaí, Lunardelli, São Pedro do Ivaí, Rosário, Marilândia, Arapongas, Cândido de Abreu,  Lidianópolis, Marumbi, Novo Itacolomi, Apucarana e Cruzmaltina. Com alerta estão: Borrazópolis, Arapongas, Mauá da Serra, Ortigueira e Califórnia
180.340 casos confirmados e  139 o total de mortes. 13 cidades do Vale do Ivaí com epidemia: Godoy Moreira, Jardim Alegre, Ivaiporã, São João do Ivaí, Lunardelli, São Pedro do Ivaí, Rosário, Marilândia, Arapongas, Cândido de Abreu, Lidianópolis, Marumbi, Novo Itacolomi, Apucarana e Cruzmaltina. Com alerta estão: Borrazópolis, Arapongas, Mauá da Serra, Ortigueira e Califórnia. Dos municípios em alerta, Borrazópolis, por exemplo, já está em epidemia, se consideramos os números já confirmados pela secretaria municipal de saúde. Clique aqui e veja boletim completo com todas as cidades. BOLETIM PARANÁ - A análise de taxa de incidência da dengue no Paraná sinaliza para a tendência de queda nos índices da doença no Estado. Nas últimas semanas, 20 municípios que estavam em situação de alerta ou em epidemia não apresentaram novos casos autóctones confirmados e estão com a taxa de incidência zerada. A avaliação considera dados pontuais coletados nas últimas quatro semanas de monitoramento (semanas 17, 18, 19 e 20) . “Os dados são preliminares, mas podem ser comprovados graficamente pelos números que os próprios municípios enviam para a Sesa. Porém, a dengue segue como uma das maiores preocupações do Governo do Estado. O Paraná ainda está em epidemia da doença e o trabalho da Vigilância Epidemiológica é constante nas 22 Regionais de Saúde, apoiando todos os municípios em ações de prevenção e controle. Esses números demonstram que o trabalho efetivo de campo vem dando resultado”, afirma ao secretário de Estado Saúde, Beto Preto. Além do apoio técnico, os 20 municípios elencados nesta análise receberam ou estão recebendo recursos financeiros por meio de Resoluções da Sesa (números 190, 227, 345 e outra a ser publicada) que repassam investimentos de cerca R$ 8 milhões no combate e controle do vetor da dengue para todas as regiões. No acumulado do período de agosto do ano passado até 18 de maio são 180.340 casos confirmados de dengue, 12.633 a mais que a publicação anterior, conforme boletim semanal divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (19). Análise - De acordo com a análise, realizada pela Assessoria de Informação Técnica da Secretaria da Saúde do Paraná, as cidades com a taxa de incidência zerada são: Santo Antonio do Sudoeste, Corumbataí do Sul, Xambrê, Diamante do Norte, Nova Aliança do Ivaí, Tamboara, Itaguajé, Ivatuba, Nossa Senhora das Graças, Santa Inês, Uniflor, Bela Vista do Paraíso, Cafeara, Centenário do Sul, Miraselva, Porecatu, Sertanópolis, Leópolis Diamante D´Oeste e Arapurã. O município de Nossa Senhora das Graças, por exemplo, na região Noroeste, com cerca de 4 mil moradores, atingiu no período acumulado, a incidência proporcional a 10,5 mil casos por 100 mil habitantes. Há quatro semanas a cidade não registra casos autóctones de dengue. Santa Inês, também no Noroeste do Estado, com aproximadamente 1.600 habitantes apresentou, no período acumulado, incidência proporcional de mais de 8 mil casos por 100 mil habitantes. Conforme análise, a cidade conseguiu zerar a taxa. Mais um exemplo é Porecatu, no Norte do Paraná. O município tem cerca de 14 mil moradores; já apresentou taxa de 6,3 casos por 100 mil habitantes e, atualmente, tem a incidência reduzida a zero. A análise mostra ainda que outros 176 apresentam tendência de queda na taxa de incidência no estado.  Leia mais no link abaixo 
“A dengue é um agravo agudo e por isso permite esta análise pontual, baseada nas semanas 17, 18, 19 e 20, com corte na curva epidemiológica ainda no decorrer do período”, explica Raul Bely, da Assessoria de Informação Técnica da Sesa. Boletim – O boletim publicado  apresenta mais de 313 mil notificações para a doença no Estado e confirma mais sete óbitos elevando para 139 o total de mortes provocadas pela doença, “O boletim traz a somatória de todo um período”, salienta a coordenadora de Vigilância Ambiental da Sesa, Ivana Belmonte. “Os números são altos; a epidemia está presente, mas o que esperamos agora é que a tendência de queda se confirme, como resultado das ações implementadas”. O informativo confirma sete óbitos que estavam em investigação entre os meses de fevereiro, março e meados de abril. Todos são de pessoas idosas. Dois óbitos foram em Cambará, dois homens, um com 72 anos, cardiopata, e outro com 77 anos, com hipertensão. Um óbito em Paiçandu, homem, 79 anos, portador de hipertensão e diabetes; um óbito em Bandeirantes, homem, 85 anos, sem comorbidade associada; um óbito em Alto Piquiri, mulher de 88 anos, com hipertensão; um óbito em Marialva, homem, de 92 anos, cardiopata, com diabetes e hipertensão, e um óbito em Astorga, homem, também de 92 anos, sem doenças associadas. Ação – A Secretaria de Estado da Saúde segue apoiando os municípios nas ações de combate à dengue. “Nesta semana daremos suporte às atividades de busca e eliminação técnica de criadouros do mosquito da dengue na região de Campo Mourão. As ações acontecerão em Goioerê, Moreira Sales, Quarto Centenário e Rancho Alegre do Oeste”, informa Ivana Belmonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA