quinta-feira, 15 de agosto de 2019

ORTIGUEIRA - Onde estão os postos de trabalho prometidos pela Klabin?

                          BERIMBALADAS                   
Segundo moradores, há desrespeito em um cláusula do contrato, que reza que a prestadora de serviços deve priorizar as vagas de emprego aos ortigueirenses  
   Em Ortigueira, um fato que tem gerando polêmica, diz respeito a empresa Klabin. Segundo informações, ela anunciou, em abril, de 2019, que iria investir cerca de 10 milhões, na construção de uma nova unidade. Também se divulgou, que a prioridade dos empregos, seria para os habitantes do município, mas segundo a população, não é exatamente isto que tem ocorrido. A foto acima, foi feita por Alex Junior dos Santos,  na agência do trabalhador, onde todos os dias há filas intermináveis, mas, quase sempre, a mão de obra tem vindo de outros estados, inclusive mão de obra barata. O pior é que, ao mesmo tempo que estas pessoas ficam com os empregos de quem mora em Ortigueira, elas também utilizam todos os serviços públicos, como o setor de saúde, aumentado a demanda e deixando a vida do ortigueirense mais complicada. "Existe uma cláusula que reza que:  caso não seja priorizado, as vagas para Ortigueira, deve ser cancelado o contrato com prestadoras de serviço com a Klabin", diz nota que foi publicada por um cidadão de nome Arinaldo Lopes. SOBRE INVESTIMENTOS - Em 16 de abril, de 2019, o governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da Klabin Papel e Celulose, Cristiano Cardoso Teixeira, anunciaram que a indústria iria  investir R$ 9,1 bilhões na ampliação da fábrica de Ortigueira (Unidade Puma), que está em operação desde 2017. Ratinho Junior destacou que o empreendimento da Klabin era o maior investimento privado da América Latina. “É um projeto que contribuirá para o desenvolvimento de todo o Paraná”, afirmou o governador que esteve em Ortigueira para o lançamento da primeira escola técnica para formação de profissionais para a indústria de papel e celulose, numa parceria entre o Estado e a indústria. A construção da nova planta vai abrir 11 mil postos de trabalho na região. Clique Aqui para rever esta reportagem.
    NOTA DE ESCLARECIMENTOS 
Veja nota da empresa Klabin, sobre as reclamações que foram apresentadas nesta reportagem:  "A Klabin esclarece que todas as vagas das empresas contratadas e subcontratadas do Projeto Puma II estão sendo divulgadas simultaneamente nas Agências do Trabalhador do Paraná. A intenção da Klabin é que todas as vagas possíveis sejam preenchidas prioritariamente pela população de Ortigueira, Telêmaco Borba e Imbaú, e dos municípios da região. Hoje, cerca de 80% dos contratados do Puma II são dos municípios paranaenses.  Em relação aos eventuais impactos no sistema público de saúde mencionados na matéria, a Klabin informa que todas as empresas contratadas e subcontratadas do Puma II são obrigadas, por contrato, a oferecer a seus trabalhadores seguros e/ou planos privados de saúde, de forma a não impactar o sistema SUS. Além disso, em parceria com as secretarias municipais de Saúde, Educação e Ação Social de Ortigueira, Imbaú e Telêmaco Borba, Secretarias Estaduais de Saúde e Educação; Polícias Militar e Civil, a Klabin monitora mensalmente os índices socioambientais e econômicos nas cidades. O objetivo é prevenir, mitigar e monitorar eventuais impactos derivados da migração desordenada de mão de obra na região. Em reuniões periódicas, o grupo analisa e age sobre os eventuais impactos identificados em virtude do aumento populacional", diz nota. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA