03/05/2021

IVAIPORÃ - Vídeo de detenção por aglomeração viraliza na cidade

Um suposto empresário aparece sendo detido e as imagens geraram polêmica em Ivaiporã. A ocorrência foi registrada pela PM e fiscais da prefeitura de Ivaiporã    
    Em Ivaiporã, tem gerado polêmica um vídeo que ganhou as redes sociais,  o qual revela a condução de um suposto empresário, feita pela polícia militar. Há várias críticas ao trabalho da Polícia, com afirmações que não era um bandido, mas sim um cidadão de bem e que tal fato seria desnecessário. Pedimos para um Policial da reserva  analisasse  as imagens e ele revelou que, assistir  apenas o vídeo, não é possível tirar conclusões, porque é preciso saber o que ocorreu anterior ao fato. "Se o homem desacatou a Polícia, ele pode sim receber voz de prisão e tem que acompanhar os policiais, caso se recuse, isso é feito usando força necessária. Veja no vídeo que quem exige a força moderada dos PMs é o homem, o qual reage e não obedece, caso ele concordasse em acompanhar os soldados, provavelmente,  iria na Sede da Companhia assinar um termo e voltaria para casa normalmente", disse o Policial. Já o boletim da PM, revela que o fato teria ocorrido no início da madrugada de 02 de maio, de 2021, na Rua Rio Grande do Sul. Em seu boletim, a 6ª Companhia, juntamente com as equipes de saúde da prefeitura de Ivaiporã, após várias denúncias ao 190 e ao plantão de fiscalização, da existência de uma aglomeração em descumprimento do decreto  municipal e estadual, deslocou ao endereço e, no local, foi constatado a suposta aglomeração de pessoas, que estavam em um prédio. Veja o que revela, trecho do boletim: "Quando a equipe de saúde conversava com uma das proprietárias, responsável pela "festa", um masculino desceu e começou a discutir com as equipes, momento que, após orientação e solicitação, começou a desacatar as equipes com várias palavras de cunho vexatório, dizendo também que tudo que a polícia estava fazendo, era errado; que aquilo era um absurdo, e que a Polícia e a equipe de saúde, estavam completamente erradas, não podendo ficar assim. Depois de diversos pedidos de calma, ele  exaltou-se e foi necessário dar voz de abordagem, e, consequentemente, voz de prisão, resguardando todos os direitos constitucionais inerentes ao caso concreto. Quando da prisão, resistiu de forma passiva, negando-se a acompanhar as equipes, e, quando da necessidade do uso progressivo, gradual e seletivo da força, inclusive, com uso de algemas, conforme súmula vinculante 11 do STF, resistiu ativamente com chutes, empurrões, cabeçadas, bem como tentativas de se desvencilhar das equipes, que, com sua resistência ativa, gerou escoriações nos policiais, já que, fez com um dos empurrões, um policial batesse com as costas em um cesto de lixo metálico na calçada. Não obstante, quando da voz de prisão, o autor do desacato começou a filmar a atuação da polícia, após já ter ofendido as equipes, e, quando negou-se a prisão, passou o celular para sua namorada e, após conseguir conter o autor, foi  apreendido o celular para encaminhamento junto com ele, para servir como prova da atuação  dos PMs. Durante o deslocamento até 6ª Companhia, disse, por diversas vezes, palavras no sentido de ameaçar um policial, já que deduz que conhece os familiares desse. Logo após, foi encaminhado para lavratura do termo circunstanciado, e todas as medidas cabíveis ao caso concreto. Sendo que a equipe de saúde, inclusive, confeccionou a notificação devida", diz o boletim. Como o nome do empresário não foi divulgado, não conseguimos ouvi-lo, mas pelas redes sociais, familiares negaram que havia uma aglomeração e deixaram claro que vão a justiça buscar seus direitos e pedir reparação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA