segunda-feira, 12 de março de 2018

BORRAZÓPOLIS – Bandidos invadem casa e fazem família refém

Os marginais mantiveram três pessoas por cerca de uma hora e meia em cárcere privado. Foram levados dinheiro, joias e objetos
            Em Borrazópolis, no domingo, dia 11 de março, de 2018, ladrões invadiram um casa na zona rural, mais precisamente na PR 466, saída para Kaloré, no Km 01. Segundo o morador,  Wesley, conhecido “Lei”, de 57 anos, sua esposa, a professora Marli Hack, de 56 anos, saiu para buscar um lanche e quando retornou, às 19:30 horas, e foi entrar no imóvel, percebeu dois indivíduos armados, com vestes pretas e encapuzados, sendo um magro, aparentando ser menor, e o outro de o parte maior, correndo ao lado da residência. Ela ainda tentou fechar a porta de vidro, mas o local foi invadido. Em seguida, eles foram até o quarto, onde Wesley estava e arrebentaram um segunda porta de madeira. Marido e  esposa foram levados para um cômodo, onde também se encontrava sua sogra acamada, a pioneira Elvira Hack, os fazendo reféns. Durante uma hora e meia, um dos meliantes ficou no quarto vigiando os moradores, até que o segundo revirasse toda a residência em busca de arma e dinheiro. Após conseguir o intuito, um deles ligou para um terceiro indivíduo informando que em cinco minutos poderia ir buscá-los. Foram levados R$1000,00 em dinheiro, bijuterias e joias diversas, avaliadas em 30 mil reais, além um barbeador, dois carregadores de celular e uma garrafa térmica. Durante o crime, consumiram alimentos e chegaram a levar bananas que estavam na fruteira. “Eles fizeram uma pressão psicológica e não estavam interessados em objetos, inclusive foram embora deixando notebooks, TV e outros eletroeletrônicos como celulares”, disse o morador Wesley ao falar com o repórter Ronaldo Senes, o “Berimbau”. INSEGURANÇA – Moradores de Borrazópolis  tem reclamando do clima de insegurança. São diversos furtos praticados por meliantes que estão aterrorizando a cidade.  O mais preocupante é que os crimes são praticados, geralmente, por menores, já conhecidos no meio policial, ou por jovens, a maioria viciada em drogas.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário