domingo, 1 de julho de 2018

CORREDOR DA MORTE - CALIFÓRNIA a MARILÂNDIA

Após mais um acidente com vítima fatal entre Marilândia e Califórnia, sargento da Polícia Rodoviária denuncia irregularidades no trecho que foi liberado com uma mureta ao centro  
        BERIMBALADAS -   No dia 30 de junho, de 2018, Blog do Berimbau e Rádio Nova Era, noticiaram mais um acidente fatal na BR 376, entre as cidades de Califórnia e Marilândia do Sul. Uma carreta da Iveco, com um semirreboque de Cafelândia - PR, trafegava pelo trecho, quando um contêiner que era transportado se desprendeu e caiu na rodovia, provocando a morte do motociclista Mateus dos Santos Del Conte, 22 anos. O acidente motivou uma nota, em tom de denúncia, feita pelo Sargento Soares, da Polícia Rodoviária Estadual, ele que reside em Marilândia, mas é comandante do Posto Rodoviário de Jaguapitã. Na visão dele e de outras pessoas, a liberação da Rodovia, em obras, tem sido o principal problema. Veja a nota na íntegra: "Califórnia à Marilândia do Sul; 10 Km, somente 10 Km; tantas vidas já se foram. E nós o que temos feito?: 'NADA'. Simplesmente aceitamos, damos um abraço de despedida na família e poucos dias depois só lembrança. Professora Sueli, muito aprendi com seus ensinamentos; vítima de um trecho de rodovia que não foi corrigido pelas autoridades responsáveis. Tantas outras se vitimaram e nada foi feito. 30/06/2018; Mateus, 22 anos, mais uma vítima do descaso de um estado omisso; obras inacabadas num trecho privado, só mesmo no meu país. Colocar uma mureta de concreto numa rodovia de tamanho movimento e liberar o trânsito em faixa simples, sentidos opostos é uma roleta russa. Alegaram que existe a sinalização; só que esta é para obras que estão em andamento e esta tem que ser provisória; mas o tempo passa e ficou permanente. Cadê os órgãos de fiscalização responsável pelo trecho? A vida para Deus não tem diferença entre o milionário e o pobre. Não vamos esperar morrer alguém para calcularmos a importância pois para Deus somos todos iguais. Açorda povo, vamos cobrar o direito de vivermos com Justiça. Chega de percas", diz o artigo do Sargento Soares. Com a palavra, as autoridades responsáveis e a concessionária responsável pelo trecho.