quarta-feira, 4 de julho de 2018

MANOEL RIBAS - Blog do Berimbau investiga a "Farra das Diárias"

                     FARRA DAS DIÁRIAS                    
Vereadores e até servidores públicos gastaram mais de 200 mil em 1,5 anos. Há casos de parlamentares que foram ao litoral de Santa Catarina duas vezes em menos de um mês para fazer cursinhos


           No banner abaixo, gastos de 2017          
             No banner abaixo, gastos de 2018           
VÍDEO - No link de vídeo, ouça a matéria completa comentada por Ronaldo Senes, o "Berimbau". Veja o que os vereadores estão alegando  
    Em Manoel Ribas, neste mês de julho, de 2018, um levantamento feito pela reportagem do Blog do Berimbau, apontou que alguns moradores tem razão em reclamar do gasto excessivo com "Diárias". A quem diga, que a atual câmara municipal, vive uma verdadeira "Farra da Diárias", com alguns parlamentares que parecem estar utilizando este benefício para aumentar ou complementar a renda, além do subsídio de 4 mil mensais, que recebem para trabalhar, em plenário, cerca de 1,5 horas, por semana. Segundo informações, o teto máximo que a Câmara, pode gastar com o pagamento de viagens e diárias, em um ano, é 124 mil, sendo que em 2017, primeiro ano dos atuais parlamentares, desta gestão, chegou a R$109.650,00 (mais de 109 mil reais); e em 2018, apenas até o sexto mês do ano; já haviam sido gastos, até o dia do levantamento realizado, R$98.400,00 (mais de 98 mil rais); ou seja, em um ano e meio, os vereadores, consumiram, em impostos, com gastos em diárias, mais de 200 mil reais, isso levando em consideração que as prefeituras e municípios vivem a maior crise da história com queda de arrecadação e dificuldade para obter recursos para investimentos em saúde, educação, esporte e outros. Entre os vereadores que mais gastaram dinheiro público, está Lindolfo Oenning, do Solidariedade (SD), com um total de R$24;300,00 (vinte e quatro mil e trezentos); entre os destinos que ele visitou, está a linda cidade de Dionísio Cerqueira, em Santa Catarina, onde foi participar de um curso denominado Funções dos Poderes Legislativos e Executivo; nossa reportagem citou que ele visitou Águas de Chapecó - SC, para participar de seminário, mas depois constatamos que este destino realmente não consta no Portal de Transparência.   Já em Foz do Iguaçu, cidade turística, fez um curso sobre Portal da Transparência e Desafios da Saúde Pública. Também há viagens para Curitiba, algumas na Assembleia Legislativa e Maringá, todas sob o argumento que são de interesse do município. Praticamente os mesmos destinos, foram escolhidos por Márcio Patera, o "Marcio do Mercado", do PSDB, que consumiu R$21.150,00 (Vente e um mil e cento e cinquenta reais) e é o vice-campeão em despesas. Já o João Carlos Oliari, do PTB, terceiro lugar em gastos, com R$17.000,00 (Dezessete mil), está tão interessado em resolver os problemas do município, que fez diversas viagens a Curitiba e até para Brasília, na Marcha dos Prefeitos, embora ele seja vereador. Já Ronaldo Luis Grochoski, o "Ronaldinho", do PMDB, entre as viagens, esteve duas vezes em Água de Chapecó-SC, em menos de um mês (21/05 e 18/06, ambos em 2018); também fez cursos em Curitiba, para o fortalecimento da vereança. Recieri Alberton, do PR, também foi na Marcha dos Prefeitos, em Brasília, é está na quinta posição com gastos de R$15.500,00. Em sexto, vem o José Antonio Garcia Alves, do PMN, com R$13.125,00; sétimo: Aparecido dos Anjos de Oliveira, o "Cidão", do PSL, com R$11.100,00; e Marcelo Popilarz, do PDT, gastos de R$8.650,00. O vereador que menos utilizou diárias, foi Vagner Alexandre Borges, o "Professor Vagner", do PDT, que, se comparado aos demais, só gastou R$3.250,00, em 2017, e ainda não havia solicitado nenhuma diária em 2018. "O interessante é que quando o vereador pede votos, ele não diz isto para o eleitor; ao contrário, assegura que está preparado para desempenhar o papel de legislador, que tem capacidade para fiscalizar e, por isso, merece a confiança do voto; mas assim que eleito, começa a fazer cursos, sob o argumento de que não tem capacidade para desenvolver a função e precisa aprender. Vale ressaltar que praticamente todos os locais escolhidos para cursos, já foram alvos de escândalos, onde políticos gastaram o dinheiro da população, dizendo que iria participar de cursos, mas na verdade estavam fazendo turismo, o que, acreditamos, não vem ao caso em Manoel Ribas", disse o Repórter Ronaldo Senes, o "Berimbau", ao comentar a notícia. Também constamos que funcionários da Câmara pode estar adotando a mesma prática, basta entrar no portão transparência, onde tudo fica muito evidente.    O QUE DIZEM OS DENUNCIADOS - Nossa reportagem ligou para todos os vereadores, com o intuito de os entrevistar e conceder a eles, o direito de resposta, antes que a matéria fosse publicada. O vereador Lindolfo disse que nunca foi para Águas de Chapecó e não sabe porque essa informação consta no Portal de Transparência, detalhe que realmente confirmamos, ou seja,  a cidade que visitou, em Santa Catarina é apenas Dionísio Cerqueira e de forma errada, informamos inicialmente que era Dionísio Cerqueira.  Ele disse que apesar de ser muito, o valor recebido, agiu dentro da lei e que trouxe vários recursos para o município, o que justifica as diárias. Afirmou também que prefeito não gosta que vereador faça curso, porque ele fica mais preparado para o investigar. O vereador Ronaldinho, que foi duas vezes para Santa Catarina, confirmou que fez as viagens e que irá novamente nos próximos meses. Também criticou a reportagem dizendo que tínhamos que fazer uma matéria completa, porque eles devolveram 1,2 milhão para a prefeitura e ninguém sabe onde o dinheiro foi aplicado. "Fizemos muita economia, investimos em carro e no prédio da câmara, devolvemos para a prefeita, então, eu entendo que os cursos geram gastos, mas temos o direito e estamos ajudando o município. Ele também disse que o fato do Berimbau citar que Águas de Chapecó, era no litoral de Santa Catarina, era uma informação mentirosa, o que causou constrangimento a sua pessoa. O vereador João Carlos, 3º que mais gastou, também foi na Marcha a Brasília, disse que tem todos os comprovantes e que está com a consciência tranquila. O Vereador Cidão, afirmou que não estava sabendo de nada, que só recebeu diárias no ano de 2018, mesmo constando, no portal de transparência,  recebimentos em 2018. Também achou normal fazer os cursos e se defendeu de qualquer irregularidade.  Ligamos várias vezes para o celular do Vereador "Márcio do Mercado", presidente da Casa de Leis, mas ele não atendeu as ligações; enviamos também uma mensagem de texto, mas não recebemos retorno. O professor Vagner, o que menos gastou, afirmou que é a favor da moralidade e que sempre vai se pautar pela transparência e não responde por atos dos demais. O vereador Recieri Alberton, atendeu nossa ligação, disse que estava ocupado e que retornaria, o que não ocorreu até a publicação da matéria. Marcelo Popilarz, não atendeu, mas depois retornou a nossa ligação dizendo que foi um dos que menos gastou e não cometeu irregularidades. Com o vereador "Toninho Garcia", não conseguimos contato.  Apesar da matéria já publicado, estamos a disposição para qualquer outra consideração dos citados. PROTESTO - Logo após a matéria publicada, um morador enviou um banner para a nossa reportagem, dizendo que o iria espalhar nas redes sociais pedindo para que a população fosse a Câmara Municipal cobrar dos vereadores uma reposta e a devolução do dinheiro que gastaram sem autorização do povo, que é o maior interessado. 
Banner editado por Morador e distribuído nas Redes Sociais