quinta-feira, 27 de setembro de 2018

APUCARANA - Polícia prende suspeito de latrocínio em Londrina

O jovem foi baleado em Apucarana ao, supostamente, esboçar reação. Ele e um comparsa são acusados de matar empresário na cidade de  Londrina 


              A Polícia Civil, de Apucarana, informou que Lucas Oliveira de Souza, acusado de participar do latrocínio de um empresário, em Londrina, no dia 19 de setembro, de 2018, foi preso no terminal rodoviário (Em Apucarana), após alguns dias de monitoramento. Ao perceber a presença dos agentes, o jovem correu do interior da rodoviária e levou a mão na cintura, o que caracterizou uma ameaça velada de que ele poderia sacar um arma e colocar em risco a vida de populares e dos policiais, por este motivo, foi feito disparo para conter a injusta agressão. Ferido, Lucas foi contido. Ficou constatado que o fato de levar a mão na cintura, era para dispensar o celular, onde havia contato dele com Gabriel Vinicius da Silva, acusado de atirar no empresário, no dia do crime. Com o sucesso da operação, o jovem foi conduzido ao hospital, de onde seria  transferido para Londrina para ficar a disposição da Polícia Judiciária. O acusado negou participação no crime, assim como Vinícius. A  Civil também foi na residência de um casal, na Rua Ouro Verde, Jardim América, em Apucarana, que admitiu  estar homiziado o procurado. SOBRE O CRIME . Alguns portais de Londrina, deram destaque a notícia. A RIC, por exemplo, informou o empresário foi morto com um tiro na cabeça; seu nome Rafael Francisco Martins, de 48 anos. Ele estava no carro com a esposa, quando foi abordado por três assaltantes, na entrada do condomínio onde morava com a família, na zona sul da cidade. Os suspeitos teriam dado voz de assalto informando que queriam o veículo. Porém, no momento em que Rafael foi destravar o cinto de segurança, os criminosos se assustaram com o movimento e dispararam. Na sequência, fugiram em um Fiat Pálio de cor prata sem levar nenhum objeto de valor. Ele chegou a ser atendido por socorristas do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), mas não resistiu aos ferimentos e morreu no interior da ambulância. (Colaborou - Rodrigo Almeida e Rádio Nova Am)