quinta-feira, 27 de setembro de 2018

IVAIPORÃ- Mulher de Jardim acusada de vender cigarros do Paraguai

Foi da primeira apreensão em 01 de setembro 
A acusada foi autuada duas vezes por descaminho, em menos de trinta dias, após denúncia de contrabando de cigarros do Paraguai 
          Uma mulher, conhecida como Sandra,   de 48 anos, moradora de Jardim Alegre, foi autuada pela segunda vez, somente no mês de setembro, de 2018, acusada de descaminho. O último flagrante foi, às 00 horas, de 26 de setembro, de 2018, quando a 6ª Companhia Independente da Polícia Militar,  foi informada que uma Ford/Escort de cor prata, com placas de Jardim Alegre, estava no município de Ivaiporã, vendendo e distribuindo cigarros contrabandeado do Paraguai. Foi realizado patrulhamento e, na rua das Flores, na vila Santa Maria, o veículo, com placas CEZ-3308, que era conduzido pela acusada, foi abordado. No bagageiro havia duas caixas de cigarros marca Classic, totalizando 750 carteiras. Consta no boletim policial, de número 2018/1098127, que perguntada sobre a procedência, a feminina afirmou que estava vendendo e distribuindo os cigarros no bairro Vila Nova Porã, de Ivaiporã, e que havia comprado a carga de um homem desconhecido. PRIMEIRO FLAGRANTE  -  Ao consultar o sistema da própria polícia, constou-se que a detida havia sido flagrada pelo mesma contravenção,  em 01/09/2018. Naquele dia, a denúncia que chegou para as autoridades, é que uma Fiat/Toro estava saindo da cidade de Jardim Alegre e indo até a Mercearia Faxinal, em Ivaiporã, localizada na Rua Jacarezinho, para comprar ou carregar com cigarros. Ao chegar no referido comércio, a PM visualizou o veículo saindo. Foi feito acompanhamento, com informações que os produtos eram para revender em comércios da região. Pouco depois, na Avenida Presidente Café Filho, foi feita a abordagem, onde, na carroceria da Toro, foram localizados 45 pacotes de cigarro da marca Classic e. no interior do automóvel, mais 15 pacotes da marca Eight, além de R$1.500,00 reais em espécie e R$3.705,00 reais em cheques. A mesma mulher, de 48 anos, estava na direção, e disse que comprou na Mercearia Faxinal. Para rever, esta primeira ocorrência: clique aqui.