sábado, 15 de setembro de 2018

IVAIPORÃ - Traficante atiça cachorros na PM, mas não impede prisão

Em residência, localizada próximo ao Colégio Barbosa Ferraz, polícia localizou droga, dinheiro e objetos, mas antes teve que enfrentar um Rottweiler
    A Polícia Militar, equipe RPA- Rádio Patrulha, efetuou prisões de acusados de tráfico, no dia 14 de setembro, de 2018, às 23h00min. Tudo começou após denúncia apontando que,  em uma Residência, de muro alto, na Rua Rio Grande do Sul, a qual é alvo de denúncias de tráfico, localizada a 50 metros do "Colégio Estadual Barbosa Ferraz", tem sido o local onde  usuários solicitam a entrada, pelo interfone, e usam droga no seu interior, porque o suposto traficante não deixa os viciados saírem com o material ilícito. Ao chegar no endereço, foi avistado um rapaz que usa entorpecente, interfonando e solicitando a entrada para comprar pedra de crack. Quando o portão abriu, entraram também os policiais, que de forma inteligente, estavam a pé e em estado de atenção, os quais também agiram rapidamente para fazer o flagrante. Um dos ocupantes do imóvel chegou a atiçar um cão Rottweiler, contra os soldados, e em meio a confusão, o usuário que tinha acabado de entrar e um segundo que já estava no quintal, fugiram. "A equipe focou na abordagem de três indivíduos suspeitos de tráfico, sendo um deles, o dono do imóvel, de nome Waldomiro,  que já tinha passagens por venda de droga e confessou novamente o crime.  Na revista, se constatou que ele tinha cinco pedras de crack embaladas em papel alumínio e prontas para a venda. Ainda confessou que comercializava droga  e indicou o quarto, onde estava o entorpecente. No guarda-roupas foram encontradas nove pedras embaladas; uma tábua de vidro com vários pedaços de crack; dois maços de dinheiro com R$ 1.013,00 reais, em várias cédulas de diferentes valores e dois rolos de papel alumínio", informou a PM. Ainda dentro da residência foram aprendidos: objetos, documentos e mais dinheiro, sendo alguns dos produtos e documentos, oriundos de garantias deixadas por usuários que compraram droga, mas não tem  dinheiro para efetuar o pagamento a vista. Veja a relação do que foi apreendido: pacote contendo uma pedra grande, além de vários pedaços pesando 110 gramas de crack; um pacote contendo com cinco gramas de maconha e uma bucha de cocaína de uma grama; R$38,10 reais em moedas; R$200,00 reais em cédulas; três celulares samsung; um celular da marca Motorola; vários documentos de diferentes pessoas; uma furadeira Bosch; uma Serra Mármore Makita; e um notebook Win que estava aberto sobre a mesa e com informações que pareciam ser a contabilidade do tráfico. Tudo o que foi apreendido totalizou R$1.251,10 reais; aproximadamente 118 gramas de crack; cindo gramas de maconha e uma bucha de cocaína de uma grama. Os presos e o material foram entregues na Delegacia.  A ação dos Policiais Militares, foi elogiada, principalmente pela comunidade escolar que vinha denunciando a prática.  Nossa reportagem não conseguiu contato com os acusados, mas nos colocamos a disposição para qualquer tipo de contestação. No caso de Valdomiro, a própria Pm regisrtou que ele confessou o crime.