18/06/2020

ELEIÇÕES - Líderes defendem adiamento das eleições municipais

           Líderes de partidos que participaram, na terça-feira (16 de junho), de reunião sobre as eleições municipais deste ano afirmaram que há consenso quanto à realização do pleito, mas com um possível adiamento em razão da pandemia de Covid-19. Normalmente realizadas em outubro, a ideia é que as votações ocorram entre 15 de novembro e 20 de dezembro. Para ser alterada, a data precisa ser definida por meio de emenda constitucional aprovada pelas duas Casas do Congresso Nacional. “É preciso, sim, realizar as eleições, com todo o cuidado, com todo o respeito. É necessário preservar a democracia e não passar a mensagem de que se trata de um valor descartável”, afirmou o líder do DEM na Câmara dos Deputados, Efraim Filho (PB). "É importante que o cidadão tenha preservado o seu direito de escolher quem vai lhe representar.” O deputado participou de videoconferência em que autoridades e especialistas em saúde foram ouvidos pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, para quem o ideal é que a definição pelo Congresso seja feita até 30 de junho. Efraim Filho disse acreditar que, com o adiamento, que levará em conta a redução na curva de contágio pelo novo coronavírus, será possível dar segurança não apenas ao dia da eleição, mas também ao período de campanha. “Você tem as convenções e as campanhas. Pelas datas previstas, começarão ali por meados de setembro”, comentou.  (Leia mais no link abaixo)  Tempo de TV - O líder do PDT, deputado Wolney Queiroz (PE), também considerou positiva a reunião. “Todos se dispuseram a ouvir a ciência, os médicos, os especialistas sobre a melhor forma de fazer uma campanha e uma eleição segura”, avaliou. O PDT, ressaltou o líder, já defendia o adiamento. “Nós fizemos uma sugestão ao presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ), que foi acatada e será levada aos parlamentares, para que a gente, em virtude da ausência de campanha de rua, também possa ter um tempo maior para as campanhas de rádio e TV, como forma de facilitar o conhecimento dos candidatos pelos eleitores”, acrescentou. Rodrigo Maia, que também participou da videoconferência, declarou ser favorável a aumentar o tempo de televisão dos candidatos, em um momento em que o isolamento social é a principal recomendação no enfrentamento da pandemia de Covid-19. “Aumentar o tempo de televisão, eu acho uma boa ideia”, disse. “[A propaganda nas redes de rádio e TV] é feita por meio de renúncia fiscal, por parte das emissoras, não seria nenhum valor absurdo, dada a importância de se conhecerem os candidatos”, continuou Maia. Sugestões - Na conferência, Luís Roberto Barroso também comentou a possibilidade de criação de uma cartilha de orientação para eleitores e mesários sobre como se portar no dia da votação. Entre as sugestões apresentadas para além do adiamento do pleito, há a possibilidade de horários estendidos para a votação, definição de horários específicos à população vulnerável, treinamento e simulação sobre medidas de higiene para todos que vão trabalhar e aumento dos locais de votação para evitar aglomerações. Barroso também destacou as discussões que estão sendo analisadas na Justiça Eleitoral, como a possibilidade de suspensão da identificação do eleitor por meio da biometria, a fim de diminuir o contato físico entre os envolvidos. (Reportagem – Noéli Nobre e fonte da Agência Câmara de Notícias)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA ANTES DE COMENTAR!
- Os comentários são moderados.
- Só comente se for relacionado ao conteúdo do artigo acima.
- Comentários anônimos serão excluidos.
- Não coloque links de outros artigos ou sites.
- Os comentários não são de responsabilidade do autor da página.

Para sugestões, use o formulário de contato.
Obrigado pela compreensão.

ROLAGEM INFINITA